Monthly Archives: October 2014

HT, 100% Syrah, Tiago Cabaço Wines, Alentejo, 2013

ht_garrafa

Este é, manifestamente, um caso de coragem! Tiago Cabaço é um produtor de vinhos de Estremoz, desde há uma década, tendo agora lançado o seu primeiro monovarietal, e precisamente da casta que nos interessa: Syrah!

Produtor

Fomos surpreendidos, a semana passada, por este lançamento numa cadeia de supermercados – Pingo Doce – que nunca tivera nas suas prateleiras um vinho de monocasta Syrah! Em conversa com o Tiago, este confidenciou-nos que tinha insistido, desde o ano passado, com os responsáveis por estes supermercados na forte possibilidade de haver um público interessado no Syrah. A este nível a aposta foi ganha!

Ao contrário do que algumas pessoas do meio vinícola nos dizem não tenho, de modo algum, a percepção de que o Syrah seja neste momento uma casta apelativa para o consumidor médio português. É verdade que devido às suas qualidades intrínsecas, o consumidor que nunca ouviu falar da casta, apesar de já ter bebido um blend com uma percentagem de Syrah, nomeadamente do Alentejo, quando degusta apropriadamente este néctar consegue aderir a este gosto com algum entusiasmo. Esta é a minha experiência de um ano e meio de investigação e degustação de algumas dezenas de Syrah de Trás-Os-Montes ao Algarve.

Herdade Trocaleite

Mas vamos debruçar-nos um pouco sobre o HT! Em primeiro lugar, o nome: diz-nos o próprio produtor que se trata duma homenagem à Herdade do Trocaleite, onde passou a infância, e onde estão plantadas 6 parcelas de syrah cujo resultado está à vista. Um syrah novíssimo de 2013 com 14% de graduação alcoólica de “cor rubi compacta, com taninos finos mas poderosos e com um final de boca longo e elegante.” Não poderíamos estar mais de acordo. Acrescentemos, unicamente, que tem possibilidade de evoluir com o tempo devido, em garrafa. Lembremo-nos da máxima de Cícero: “Os homens são como os vinhos: a idade azeda os maus e apura os bons”. Daí o nosso conselho: comprar para degustar já e ao mesmo tempo reservar umas quantas garrafas para guardar na garrafeira.

IMG_8547

Já o ano passado, Tiago Cabaço tinha realizado uma experiência com o lançamento de pouco mais de seis mil garrafas que se eclipsaram em poucas semanas. Agora, o HT arranca com trinta e cinco mil garrafas, número nada habitual num syrah no panorama vinícola português. Esta é a segunda aposta que é preciso, também, ganhar!

Sala de Provas

Em todo o texto argumentativo, é nossa opinião que no final deve ser deixado um argumento forte. E este é mesmo muito forte! Trata-se do preço, que se situa abaixo dos quatro euros, quando comprado em supermercado.
É obra, tendo em conta os seus congéneres de mercado e devido à qualidade demonstrada. Quem disse que não é possível comprar um syrah de baixo custo e simultaneamente poderoso?

Classificação: 15/20                            Preço: 3,74€


 

Syrah do Alentejo (52)

alentejo_image

Hoje apresentamos a lista dos Syrah do Alentejo, a região de Portugal com o maior número de edições desta monocasta. É um lugar particularmente propício à criação deste néctar. São quarenta e quatro no total até agora, e como é possível verificar, estão já vários esgotados. Alguns deles ainda puderam ser por nós apreciados, e no caso de outros sabemos que brevemente poderá haver novidades. Noutros casos, infelizmente, o ano indicado é mesmo o último, pelo menos para já…

Nos Syrah onde estiver mencionado mais do que um ano significa que os conhecemos, o que não quer dizer que não haja outros anos. Por exemplo, o célebre Incógnito está mencionado nos anos de 2001, de 2009 e de 2011 o último. Mas houve outros anos de Incógnito tais como o de 1998 (o primeiro, o mítico – no produtor já só há 4 garrafas) e os de 1999, 2002, 2004, 2005 e 2008.

 

 Adega Cooperativa da Vidigueira, 2014

Aldeia de Juromenha, Reserva, 2009, 2010, 2011

Alfaraz, 2009

Artefacto, 2010

Bombeira do Guadiana, 2011, 2013

Brett Edition, Herdade do Arrepiado Velho, 2007, 2009, 2012

Carmim Syrah, 2011

Castas D´Ervideira Syrah, 2006 (esgotado)

Castelo de Arraiolos, 2014

Cem Reis, 2010, 2011, 2012

Cortes de Cima Syrah, 2011, 2012

Dona Dorinda, 2012, 2013

Fidúcia, 2005 (esgotado)

Grande Comenda, Syrah, 2009 (esgotado)

Hans C. Andersen Homenagem, 2011

Herdade da Figueirinha Syrah, 2006

Herdade do Esporão 2004, 2011

Herdade da Fonte Coberta, 2013

Herdade do Meio, 2004  (esgotado)

Herdade das Mouras, 2014

Herdade dos Lagos Reserva, 2006, 2012

HT, Syrah, Tiago Cabaço, 2013

Humanitas Tinto Reserva, 2013

Incógnito, 2001, 2009, 2011

Lapa dos Gaivões, 2005 (esgotado)

Margarida, 2008

Mil Réis, 2013

Monsaraz Syrah, 2011

Monte Cruz, 2009

Monte Cruz Reserva, 2009

Monte da Cal Syrah, 2007

Monte da Colónia, 2012

Monte da Colónia Rosé, 2013

Monte do João Martins, Syrah, 2011

Monte da Ravasqueira, 2012

Monte Seis Reis Syrah, 2003, 2004, 2008, 2013

Pedra Basta, 2014

Planura, 2010

Pontual, 2011, 2012

Pulo do Lobo, 2013

Quinta da Pinheira, Marcolino Sebo, 2011

Quinta do Caldeireiro, 2009  (esgotado)

Santa Vitória, 2012

São Miguel Syrah, 2010

Scala Coeli, Cartuxa, fundação EA 2010

Senses Syrah, 2010

Solar dos Lobos, 2011

Syrah da Peceguina, 2010

Tapada dos Coelheiros, 2007

Telhas, Terras D´Alter, 2009

Terra D´Alter Syrah, 2006  (esgotado)

Vila Santa, João Ramos Portugal, 2008, 2011


 

Sobre nós!

Isto é Syrah...

Somos, somente, dois consumidores de monocasta syrah.

Exigentes e conhecedores…

Francisco Trindade, professor de Filosofia e Psicologia, Proudhoniano, Hammilliano e Zappiano, e Raúl Pires Coelho, arquitecto, professor de Educação Visual e fotógrafo,  Zappiano, ex-aviador e ex-novelista.

Propomo-nos fazer um blogue onde se fale de syrah.

Onde só se fale de syrah!

De tudo o que possa ter a ver com esta casta extraordinária. Desde a sua história até ao processo de degustação. Por isso é que este blogue não é sobre vinho, mas sim, sobre syrah.

Pretendemos falar sobre a verdade do syrah.

Só nos interessa os monocasta syrah. Todos os vinhos que têm syrah –  e são milhares – ficam alterados pela mistura com outras castas, nobres sem dúvida, mas que não têm o mesmo significado para nós!

Os blend são o tipo preferido pela maioria dos consumidores portugueses. Os monocasta são depreciados, preconceituosamente, do nosso ponto de vista.

A monocasta syrah é por excelência a bebida de Dioniso e o seu currículo conta já com cerca de 3000 anos, vindo do Médio Oriente e estendendo-se até ao ponto mais ocidental da Europa. Nasceu na cidade iraniana de Shiraz.

Pretendemos que todos os que conhecem esta casta comunguem connosco as suas impressões sobre o que pensam e sentem quando o bebem. Em relação aos que não a conhecem, pretendemos suscitar a curiosidade intelectual e sensorial, de modo a se aperceberem do que têm perdido…

Uma declaração de interesse é fundamental ser feita e desde a primeira hora: não somos produtores de vinho, não somos vendedores, não somos comerciantes, não somos armazenistas nem revendedores, nem distribuidores, nem do que quer que seja que esteja associado à fermentação do sumo de uva.

Somos, somente, dois consumidores de syrah e é nessa perspectiva que nos colocamos, sempre.

A escrita dos posts estará a cargo de Francisco Trindade, o design e a criatividade gráfica estarão a cargo de Raúl Pires Coelho, o que não quer dizer que este último não possa, eventualmente, escrever.

Iremos valorizar na sua esmagadora maioria os syrah portugueses. São esses que nos importam! E porquê? Porque são os melhores do mundo! Esta é uma tese polémica, mas é a nossa tese. Isto não quer dizer que não haja syrah franceses, australianos, californianos ou mesmo chilenos de qualidade, mas não chegam ao nível dos syrah que se produzem em Portugal, desde há 16 anos.

Foi nesse ano, de 1998, que saiu para o mercado o primeiro syrah português. Alentejano de sua cepa. Foi, na altura, uma grande incógnita porque, como de costume nestas situações, os poderes estabelecidos à época não permitiam o cultivo do syrah no Alentejo. De incógnito a dar-se a conhecer ao mundo foi um ímpeto que transformou o panorama do mundo vinícola em Portugal.

Iremos narrar essa História…

Queremos participar dessa História. Já estamos nela!