Daily Archives: 31/01/2015

Syrah e cognição

cogni

Não acredite em tudo o que ouça. Se isto é verdade para o dia a dia então terá que ser verdade também para o syrah… estamos de acordo?

Como o leitor sabe nós aqui falamos de syrah, mas muito do que dizemos sobre a nossa casta favorita também pode ser correcto para o vinho tinto em geral. É o caso!

Os mitos sobre o vinho são quase tantos quanto as lendas urbanas…

Vamos aqui reflectir sobre um desses mitos:

“O álcool destrói as células do cérebro”

Muitos abstémios defendem esta tese quase como um dogma. Trata-se de um mito, dizemos nós! Na realidade, existem pesquisas que associam o consumo moderado de vinho a um aumento da nossa capacidade cognitiva.

Os efeitos negativos do consumo abusivo de álcool sobre a nossa capacidade cognitiva estão muito bem documentados, e servem de alerta para que se evite qualquer tipo de exagero, sempre!

Contudo, sabe-se que o resveratrol é um alimento funcional, ou seja, é um ingrediente que, além das funções nutricionais básicas, quando consumido como parte da dieta habitual, produz efeitos benéficos à saúde. Tema já tratado aqui e aqui.

E existe um crescente interesse pelo estudo do potencial dos alimentos funcionais para a cognição, incluindo o resveratrol presente no vinho tinto.

Cognição é um processo mental que envolve atenção, percepção, memória, raciocínio, juízo, imaginação, pensamento, linguagem e acção.

Alguns cientistas, interessados no tema, pesquisaram o impacto do consumo do vinho sobre a capacidade cognitiva de indivíduos mais velhos, já que a idade é o factor de risco mais importante para o comprometimento cognitivo.

Esse estudo foi apresentado na Conferência WineHealth 2013: International Wine and Health Conference, que aconteceu na Austrália, sob o patrocínio da OIV (Organização Internacional da Vinha e do Vinho).

Os investigadores contaram com 16 voluntários, com média de idade de 70 anos, que se submeteram a testes de cognição após o consumo de 100 ml de vinho tinto, em duas ocasiões, com duas versões: “normal” e enriquecido com resveratrol.

O que se observou, nesse estudo, foi um aumento significativo de desempenho dos voluntários nos testes.

Concluíram assim os cientistas que esses resultados de melhor performance são reflexo de um aumento do fluxo sanguíneo, causado pelo resveratrol, e dos efeitos estimulantes do álcool em baixas quantidades.

Mas esse é um estudo inicial, que merece mais aprofundamento. Os cientistas sinalizam a necessidade de repetir tal pesquisa utilizando uma amostra maior, e um grupo de controle que consuma, por exemplo, vinho sem álcool.

Esperamos que a continuidade desse estudo aconteça em breve, e com mais boas notícias para os apreciadores de syrah.

É muito bom saber que a ciência se interessa cada vez mais sobre o sumo de uva…!