Daily Archives: 23/02/2015

5º Elemento, Quinta do Arrobe, 100% Syrah, Tejo, 2012

garrafa

A primeira coisa que temos de referir sobre este syrah de qualidade é a falta de informação em formato digital. A Quinta do Arrobe não tem site, não tem blogue, não tem facebook, e o que se pode obter é unicamente por via indirecta. Apesar disso, e para nosso bem e dos nossos leitores, o produtor, por nós contactado via correio electrónico, Alexandre Gaspar, enviou-nos elementos importantes para podermos escrever este texto com o mínimo de informação pertinente. Dito isto, falemos então do que é verdadeiramente importante que é de syrah.

Temos então conhecimento de duas safras: a de 2011 e a de 2012. Esperemos que seja para continuar, como sempre, e com a nossa ajuda. Trata-se de um syrah “de cor rubi carregada. Com aromas de amora, ameixa e notas de especiaria. Na boca é encorpado, macio, equilibrado e com um final de prova prolongado.” As uvas provenientes da vindima manual foram cuidadosamente desengaçadas e esmagadas. Seguiu-se a fermentação alcoólica com maceração pelicular durante duas semanas a uma temperatura de 25ºC. O vinho acabado estagia durante cerca de um ano até ao seu engarrafamento.

A Quinta do Arrobe é um pequeno produtor do Ribatejo com 36 hectares de vinha com uva tinta e branca. Tem havido uma aposta na recuperação de castas antigas da região, como o Preto Martinho. Situada em Casével, Santarém, é uma propriedade familiar, dirigida por Maria e Alexandre Gaspar, com forte vocação exportadora que se dedica à produção de vinhos. A ligação da família ao sector vinícola teve início em 1882, resultando de uma tradição de várias gerações. O processo de internacionalização iniciou-se em 2007 e neste momento a Quinta do Arrobe já regista presença em 10 mercados, nas gamas Premium e Superpremium, que são exportadas para países como a Alemanha, Brasil, Luxemburgo, República Checa, Noruega e China.

Na Quinta das Casas Altas no coração do Ribatejo, em terrenos argilo-calcários de encosta apostou-se na ideia de produzir vinhos de qualidade, tirando proveito das condições edafoclimáticas, com total respeito pelas riquezas naturais, história e ambiente únicos da região.

Na sequência de estudos geológicos, com o objectivo de determinar os melhores locais para plantar, seleccionou-se nas castas tintas o Castelão, Cabernet Sauvignon, Merlot, Syrah, Touriga Nacional  e Trincadeira. Nas castas brancas elegeu-se o Arinto, Pinot Grigio e o Fernão Pires, entre outras. Assumindo sempre o compromisso de apostar na criação das melhores condições, visionando continuamente a qualidade, investiu-se em equipamento enológico. A Quinta Do Arrobe, criada em 2011, juntou-se recentemente ao universo Quinta das Casas Altas, como reforço da estratégia de crescimento e desenvolvimento contínuo.

image1_d189b4b15c7cff0b9b33ce4f3cbd58d6

A Quinta do Arrobe ganhou a Medalha de Ouro dos melhores Cabernet’s Sauvignon, no concurso Internacional dos Cabernets 2014, entre 229 concorrentes de 19 países, com o vinho 5º Elemento-Cabernet Sauvignon. “Este prémio é o reconhecimento da qualidade produzida na Quinta do Arrobe e do enorme potencial dos vinhos da região Tejo no mercado internacional”, diz Alexandre Gaspar. Esta não foi a primeira medalha recebida. Os vinhos “5º Elemento “ em monovariatais das castas Syrah e Cabernet Sauvignon foram medalhas de prata e bronze em 2014 pelo Challenge du Vin. Alexandre Gaspar, um dos proprietários, diz que “Este prémio é o reconhecimento da qualidade produzida na Quinta do Arrobe e do enorme potencial dos vinhos da região Tejo no mercado internacional”.

Para conseguir melhores resultados Alexandre Gaspar vindima à noite ou de madrugada e a vinificação decorre em lagares de inox. Todo o processo é feito de forma tradicional mas recorre às novas tecnologias quando é essencial “trabalhamos o máximo por gravidade e o mínimo com recursos de bombas”. A Touriga Nacional, Trincadeira, Syrah, Cabernet Sauvignon e Merlot fazem parte das castas tintas o Fernão Pires e Arinto nos brancos, ajudam a produzir os vinhos conhecidos com as marcas “Sensato”, “Oculto” e “5º Elemento”. Os vinhos estão à venda em lojas da especialidade, restaurantes ou na quinta, que, obviamente, merece uma visita.

Um syrah do Tejo a manter por perto…!

Classificação: 16/20                                           Preço: 7,95€

ft