Daily Archives: 12/03/2015

Vale Zias, Fazendas da Estremadura, Sociedade Agrícola Unipessoal Lda, 100% Syrah, Lisboa, 2011

Do Alentejo para a região vinícola de Lisboa é um pulinho. O “terroir” é diferenciado mas mantém-se algo em comum: syrah de qualidade inolvidável. E o syrah que temos hoje para vos apresentar (os leitores do Blogue do Syrah merecem os melhores vinhos) é de excelência. Mais: o que também impressiona é a relação qualidade/preço, sempre muito importante para nós, constantes bebedores deste néctar dos deuses. Trata-se de um syrah cujo preço está claramente abaixo dos 5 euros, e em essência acima da média em termos de apreciação.

Reparem nas notas de prova: “cor rubi violácea, aromas com boa definição onde predominam frutos vermelhos e bagas, assim como aroma a frutos maduros e de grande estrutura, boca elegante de taninos redondos e maduros, final harmonioso e de boa persistência”. É preciso dizer mais?

zias_1

A vinificação é feita à boa maneira dos antigos. As uvas são fermentadas em lagar de forma tradicional.

Em conversa com o produtor e enólogo, Manuel Arsénio, que já o ano passado gentilmente se tinha encontrado connosco (e generosamente nos tinha dado a provar duas garrafas do Vale Zias que ainda se encontrava nas pipas, mostrando já toda a sua pujança!) ficamos a saber que o Vale Zias syrah conheceu 4 safras. Desde 2005, a primeira, com 5000 garrafas. A segunda em 2007 com uma subida brutal para 16000 garrafas. A terceira safra em 2009 com 18000 garrafas (situação não muito habitual para um monocasta syrah em Portugal) e finalmente a safra que hoje apresentamos, a de 2011, com 8500 garrafas, justificadas com o ajustamento ao mercado nacional tendo em conta o facto de que 85 a 90% de toda a produção se destinar ao mercado nacional.

zias_2

A empresa Fazendas da Estremadura, Sociedade Agrícola Unipessoal Lda foi fundada em 2005, no entanto as suas origens têm por base um cariz familiar, que já desenvolve a sua actividade agrícola na região vinícola de Lisboa há várias décadas, tendo procedido ao primeiro enchimento de vinho nos anos 30. E tem como principais actividades a produção e comércio de vinho engarrafado, produção de pêra rocha e consultoria técnica em Enologia.

Em frente de uma taça de Vale Zias, um melancólico dia destes, encontrámos alguns textos do poeta, matemático e astrónomo persa dos séculos XI e XII, Omar Khayyām, entre eles o poema RUBAIYAT, que nos diz o seguinte:

“Vinho faz perdoar a pena de viver.
Bebe vinho! Vinho cor de rubi, vinho cor-de-rosa, vinho cor de sangue!
Bebe vinho!
Tens muitos séculos para dormir.
Vinho é amargo? Não importa! Tem o gosto da vida!
Todos os reinos por uma taça de vinho precioso.
Todos os livros e toda a ciência dos homens por um perfume suave de vinho.
Todos os hinos de amor pela canção do vinho que corre.
Toda a glória de Feridoum pelos reflexos do vinho na ânfora.
Bebo o vinho que me oferece uma linda rapariga e não cuido de minha salvação.
Sempre ouço dissertar sobre os gozos reservados aos eleitos, limitando-me a dizer:
Só tenho confiança no vinho.
Bebe vinho!
Só ele te dará a mocidade, ele é a vida eterna.
Bebe um pouco de vinho porque dormirás muito tempo,
debaixo da terra, sem amigo, sem camarada, sem mulher.
Nosso amigo mais velho é o vinho mais novo.
O vinho destrói os cuidados que nos atormentam e nos dá a quietude perfeita.
Ouço dizer que os amantes do vinho serão castigados no inferno.
Se os que amam o vinho e o amor vão para o inferno o paraíso deve estar vazio.
Vinho! Eis o remédio que carece o meu coração doente.
Vinho com perfume almiscarado! Vinho cor-de-rosa!
Dá-me vinho para apagar o incêndio da minha tristeza.
Bebe e esquece que o punho da tristeza breve te derrubará.
Vinho! Vinho em torrentes! Que ele palpite em minha veias.
Que ele borbulhe em minha cabeça!
Quando bebo, ouço mesmo o que não me pode dizer a minha bem amada!
Mais vale uma ânfora de vinho do que o poder, a glória e as riquezas.
O vinho libertar-te-á das névoas do passado e das brumas do futuro.
O vinho inundar-te-á de luz, livrando-te dos grilhões de prisioneiro.
Quando Deus me criou sabia que eu beberia vinho.
Se me tornasse abstémio, sua ciência estaria errada.
Trazei-me todo o vinho do Universo!
Meu coração tem tantas feridas!…
O vinho proporciona aos sábios uma embriaguez semelhante à dos eleitos.
Dá-nos a mocidade, restitui-nos o que perdêramos, põe ao nosso alcance tudo o que desejamos.
O vinho queima como torrente de fogo,
mas, às vezes, tem sobre as nossas mágoas o efeito da água pura e fresca”.

005

Agora uma pequena dica: guardem este syrah durante uns anos, apostamos, para já, em 4 anos, e depois vejam a evolução! Este é um syrah capaz de aguentar e melhorar com o tempo. Até apostamos, se for caso disso!

zias_3

E terminamos dizendo: se quiserem fazer um brilharete junto de amigos e familiares e não despender muito dinheiro, eis uma óptima opção: Vale Zias syrah!

 

Classificação: 16/20                                              Preço: 4,54€

ft