Daily Archives: 24/03/2015

Bento dos Santos, o prolífero do Syrah!

jose-bento-dos-santos

Bento dos Santos é simplesmente um dos grandes senhores do Syrah em Portugal.

Para além da enorme qualidade que se percebe em cada Syrah que sai da sua Quinta, o que o distingue sobremaneira é a diversidade que, nestes vinte anos de Syrah, já lhe conhecemos. Trouxe a casta directamente de França, do Vale du Rhône, para Alenquer, para a sua Quinta do Monte d´Oiro. A importância deste enólogo é de tal ordem que ainda hoje é demasiado cedo para sabermos com precisão o alcance de toda a sua influência nos demais produtores de Syrah em Portugal.

São seis os Syrah da sua responsabilidade que foram criados na Quinta de Alenquer:

Homenagem a António Carqueijeiro, Syrah (94%) e Viognier (6%) (esgotado)

Reserva d´Oiro,  Syrah (94%) e Viognier (6%)

Lybra, Syrah (100%)

Vinha da Nora, Syrah (100%) (esgotado)

Syrah 24, Syrah (100%)

Syrah Rosé, Syrah (100%)

Claro que preferimos os Syrah a 100%, como sempre dizemos, e é nessa direcção que nos batemos, mas nenhum deles pode, ou deve, ser ignorado. Na devida altura falaremos mais em pormenor destes Syrah e da Quinta que os produz.

José Manuel Bento dos Santos é engenheiro Químico Industrial pelo Instituto Superior Técnico desde 1970. Iniciou a sua carreira profissional no Barreiro, como quadro da CUF, essa grande escola de engenharia e gestão. De Chefe de Produção da Metalurgia do Cobre passou, ao fim de poucos anos, para Director do Marketing de Metais tendo, nessas funções, corrido mundo. Foi docente universitário regendo as cadeiras de Metalurgia e de Gestão de Empresas. Fez parte do Conselho de Administração de várias empresas e, em 1981, fundou a Quimibro, uma empresa broker de metais única no género em Portugal e líder de mercado.

A partir de 1990, deu início ao ambicioso projecto vitivinícola da sua Quinta do Monte d’Oiro, em Alenquer, de onde, logo desde a primeira colheita (1997), têm saído vinhos de grande gabarito e prestígio não só nacional como internacional.

Desde muito cedo que foi notório o seu profundo interesse pelo sentido do gosto, dedicando toda a vida ao culto da gastronomia na sua forma mais pura, e da própria culinária, onde aplicou os seus conhecimentos à descoberta das harmonias perfeitas entre vinho e comida. Nas suas contínuas viagens teve a oportunidade de frequentar os mais famosos restaurantes e de contactar e praticar com grandes cozinheiros de todo o mundo. Ao mesmo tempo teve o privilégio de conhecer e provar os vinhos mais requintados. Iniciou a sua colecção de vinhos há mais de 30 anos, participando activamente nos leilões do Christhie’s ou da Sotheby’s e ainda através do contacto directo com alguns dos mais reconhecidos produtores mundiais.

É Vice-Presidente da Academia Internacional de Gastronomia, Conselheiro Gastronómico da Chaîne des Rôtisseurs, Cavaleiro da Confraria do Vinho Porto, membro da Académie des Psycologues du Goût , Chevalier des Entonneurs Rabelaisiens e Chevalier du Tastevin. Recebeu da Presidência da República Portuguesa o grau de Comendador da Ordem de Mérito Agrícola (2006) e foi condecorado pelo Ministro francês para a Agricultura e Pescas (2007). Em 2008, recebe o mais elevado reconhecimento da Chaîne des Rôtisseurs (a Medaille d’Or ) e ainda, do Ministério da Economia e Inovação, a Medalha de Mérito Turístico.

É autor dos livros “Subtilezas Gastronómicas – receitas à volta de um vinho” (Assírio & Alvim, 2005) – inspirado no primeiro vinho branco da Quinta do Monte d’Oiro –, “O Sentido do Gosto” (Livros d’Hoje, 2008) e “Allgarve Gourmet ” (Prime Books, 2008), publicando ainda artigos regulares sobre gastronomia e vinhos em revistas da especial idade e outros meios de comunicação. Profere diversas conferências sobre estas temáticas no país e no estrangeiro e foi o docente responsável pelo seminário “O Sentido do Gosto” destinado aos alunos do Departamento de Engenharia Civil e Arquitectura do IST.

É igualmente autor e apresentador de duas séries televisivas, de larga audiência, em vários episódios sobre os temas do vinho e da gastronomia: “Segredos do Vinho” (SIC, 2004) e “O Sentido do Gosto” (RTP, 2007-2009).

Voltamos ao ponto de partida: no que diz respeito ao Syrah, José Manuel Bento dos Santos conjuga qualidade e diversidade. É um dos maiores especialistas (a par de António Saramago, de que já falámos anteriormente) a fazer Syrah em Portugal!

Não é a primeira vez que dizemos isso e não será certamente a última: se o Syrah português é tão bom e de reconhecida qualidade superior, isso deve-se em primeiro lugar aos homens que o fizeram e depois, naturalmente ao “terroir” onde ele é feito! Exactamente e por esta ordem!