Daily Archives: 12/04/2015

Senses Syrah, Adega Cooperativa de Borba, 100% Syrah, Alentejo, 2011

garrafa

Continuamos no Alentejo e continuamos bem, porque hoje vamos falar do syrah feito pela Adega Cooperativa de Borba: Senses Syrah de seu nome, do ano de 2011, em nossa opinião superior à safra anterior de 2010.

Este syrah é apresentado da seguinte maneira: “Aspecto límpido, cor granada com profundidade. Boa intensidade aromática, evidenciando frutos pretos, bolo inglês e chocolate. Sabor macio, com acídulo a bombom de ginja, taninos encorpados com ligeira tosta e grande untuosidade no longo final de boca. “ A graduação alcoólica é de 14%.

Depois de lermos isto e de termos degustado o syrah em causa -que é sempre o mais importante – como é possível não concordarmos com aquele que é justamente considerado o pai da moderna medicina, Pasteur, quando diz que “O syrah (dizemos nós) é a mais sã e higiénica das bebidas”?

vinha

Não é a primeira vez que apresentamos syrah feitos por adegas cooperativas. Já aqui apresentámos o syrah da Adega de Pegões, os dois syrah da Adega de Reguengos de Monsaraz aqui, e agora este Senses Syrah, que não fica atrás dos anteriores em qualidade. A adaptação e a reconversão privilegiando mais a qualidade do que a quantidade que algumas das mais importantes adegas cooperativas fizeram nestas duas últimas décadas marcam indelevelmente uma parte importante da revolução vitivinícola de que somos testemunhas.

A área vitícola da Adega de Borba são 2.200 ha, dos quais, 70% são castas tintas e 30% castas brancas, com um aumento nos últimos anos da introdução de novas castas de qualidade: Aragonez, Trincadeira, Touriga Nacional, Tinta Caiada / Arinto,  Antão Vaz, Roupeiro e a nossa Syrah.

O Alentejo é uma extensa área, essencialmente rural, e com uma baixa densidade demográfica, oferecendo uma qualidade ambiental excepcional e uma paisagem preservada: imensas planícies ondulantes povoadas de vastos olivais e vinhedos, extensos montados de sobro e azinho, parques naturais, zonas de caça e albufeiras.

alentejo

O Alentejo é a principal região agrícola de Portugal, representando quase metade da superfície agrícola utilizada do continente, tendo como grande aptidão vinhos de qualidade e tipicidade. Em termos de mercado nacional de vinho de qualidade engarrafado, com Denominação de Origem Controlada ou Vinho Regional, o Alentejo representa uma cota de 42%.

Fundada em 1955, a Adega de Borba foi a primeira de uma série de Adegas constituídas no Alentejo, com o incentivo da então Junta Nacional do Vinho, numa altura em que o sector não tinha o protagonismo que hoje tem na economia regional. De facto, não fosse esse empurrão decisivo dado pelo referido organismo estatal, que assim permitiu uma organização comercial e de transformação para os vinhos do Alentejo, a cultura da vinha teria desaparecido completamente da região, pois todos os incentivos da época estavam virados para a cultura dos cereais, e fazer do Alentejo o celeiro do País era uma política mais que consolidada para a época.

Após 3 décadas de resistência, em que só o grande valor das castas regionais e a excelência das condições naturais permitiram que a produção de vinho no Alentejo se mantivesse, chegou-se finalmente aos anos oitenta, em que todo o potencial da região para a produção de vinho pode ser avaliado e confirmado pelo Consumidor. Beneficiou a região do facto da produção estar associada a Adegas de grande dimensão, e desta forma mais rapidamente se apetrechou em termos tecnológicos que outras regiões do País, dando o salto para os vinhos engarrafados de qualidade, numa altura em que o consumidor passou a ser mais exigente e a privilegiar mais a qualidade que a quantidade. É verdade que a constituição da região demarcada do Alentejo e a criação de estruturas técnicas associativas que rapidamente divulgaram novas tecnologias junto do viticultor foram essenciais em todo o processo.

A euforia que os vinhos do Alentejo têm vivido nestes últimos anos, resulta, pois, de um longo trabalho quer na vinha, com a selecção das melhores castas e dos melhores solos para a sua produção, quer na Adega com o aperfeiçoamento de técnicas e apetrechamento de equipamentos, muitas vezes sem grande visibilidade, numa época em que o pulsar da região se fazia mais noutras direcções que não a produção de vinho.

Hoje a Adega de Borba reúne 300 viticultores associados que cultivam cerca de 2.000 hectares de vinha, distribuindo por 70% castas tintas e 30% de castas brancas.

adega

E tem vindo a crescer e a modernizar-se constantemente ao longo de mais de 5 décadas, ocupando 2 áreas distintas, a original de 12.000 m2 e a mais recente com 140.000 m2 onde está localizada a nova Adega.

Em 2011 foi feito um investimento de 12 milhões de Euros na construção de um novo centro de vinificação para vinhos tintos e armazenagem de granel, e armazenagem e expedição de produto acabado, depois de em 2004 já se ter investido num processo de modernização que ascendeu a 8 milhões de Euros.

A capacidade de vinificação ascende assim a 1.200 Toneladas/ dia de uva, com uma capacidade total de fermentação de 6.000 Toneladas. Em termos de armazenagem de vinhos a granel, a capacidade da Adega de Borba é neste momento de 350.000 hl. Com o novo armazém de produto acabado e expedição a capacidade de armazenagem ascende a 7.000 paletes.

O centro de vinificação possui tecnologia de ponta tanto na área de software de gestão como nos equipamentos. Dispõe de cubas com diferentes tecnologias de fermentação: verticais com e sem pisa mecânica, horizontais rotativas, lagares, etc. Possui igualmente um espaço especial para estágio de vinhos de qualidade em barricas e em garrafas, um local privilegiado com escavação em rocha de mármore tão tradicional da região de Borba. O repouso e descanso reforçam o afinamento dos futuros vinhos Premium com designativo de qualidade Reserva e Garrafeira, tais como os vinhos engarrafados nas marcas Adega de Borba, Montes Claros, Adega de Borba Reserva “Rótulo de Cortiça” e Senses, antes de serem colocados no mercado.

A Adega de Borba possui 3 linhas de engarrafamento, instaladas em ambiente de sala limpa com controlo ambiental, completamente automatizadas e com capacidades e características muito amplas que permitem dar resposta às solicitações dos diferentes mercados em termos de qualidade e diversidade de produtos.

As matérias-primas mais sensíveis, como as rolhas e rótulos são armazenados num espaço com humidade controlada. Quanto aos produtos acabados, são armazenados por secção em função do tipo de vinho e do seu destino.

Partimos deixando o convite à descoberta de mais este superlativo syrah, assim como da sua região de origem, sempre um deleite!

 

Classificação: 16/20                                           Preço: 7,00€

ft