Monte da Ravasqueira, 97% Syrah, 3% Viognier, Alentejo, 2012

ravasqueira_garrafa

Em Arraiolos, Alentejo, flanando pela planície cor de ouro, matizada de verde, sobreiros e rebanhos, vamos encontrar hoje um Syrah elegante e profundo, mas sem a complexidade que tanto apreciamos, especialmente nesta região, devido certamente à inclusão de 3% de Viognier, tão do agrado dos franceses do Vale do Rhône. Para nós, Blogue do Syrah, sempre que se nos depara algo diferente do 100%, a palavra a usar é infelizmente, mas claro que aceitamos a opção do enólogo, com a devida ressalva.

Trata-se da primeira safra deste Syrah que assim veio enriquecer a marca Monte da Ravasqueira. Foi a  vindima de 2012 que deu origem ao primeiro vinho destas duas castas produzido no Monte da Ravasqueira.

2

97% Syrah, 3% Viognier, é o rácio, logo é um Syrah legal, que acontece sempre que há na sua composição pelo menos 85% da casta maioritária. As uvas de Viognier foram vindimadas tardiamente e congeladas à espera da vindima de Syrah. Foram deixados apenas dois cachos por cepa de forma que as uvas de Viognier ganhassem concentração aromática. O Syrah é originário da parcela Vinha das Romãs, mas de zonas distintas, e seleccionadas para o perfil deste vinho.

As notas de prova dizem-nos que possui ”Cor negra e densa. Nariz com mescla de pimentas, frutos vermelhos maduros, alcatrão e leve pêssego e damasco. Mineral, cheio de volume, taninos em constante equilíbrio com a acidez viva e vibrante. Complexo com notas de moca, café e bolacha. Taninos finos constantes com prolongamento mineral e mentolado.” O teor alcoólico é de 13,5%.

Ligado há várias gerações à família José de Mello, o Monte da Ravasqueira está localizado no concelho de Arraiolos, a uma hora e pouco de distância de Lisboa, ocupando uma vasta área de paisagem tipicamente alentejana, cuja gestão e exploração é assegurada pela Sociedade Agrícola D. Diniz, SA.

Dotado de excelentes condições geológicas e climáticas para a produção de vinho, o Monte da Ravasqueira foi objecto de um forte investimento na plantação de vinha, bem como em equipamentos enológicos e instalações meteorológicas e fitossanitárias.

Os investimentos realizados compreendem igualmente um conjunto de infra-estruturas de apoio ao desenvolvimento de um projecto de enoturismo.

1

Assumindo o compromisso de produzir vinhos de qualidade distintiva, o Monte da Ravasqueira desenvolve também um conjunto de outras actividades ligadas à cortiça, azeite, mel, criação de gado bovino e engorda de porco preto alentejano.

Herdade da Ravasqueira, vinho, herdade dos Mello

O Monte da Ravasqueira oferece uma grande diversidade de vinhos resultante de 29 talhões de vinhas. Dispõe, no âmbito do seu projecto de Enoturismo, de uma importante colecção particular de arreios e atrelagens de diferentes épocas e estilos da coudelaria que existiu, durante largos anos, no Monte da Ravasqueira.

1

Inspirada em Napa Valley, na Califórnia, a adega do Monte da Ravasqueira está dotada da mais avançada tecnologia. É totalmente gerida através de um programa informático desenvolvido por especialistas locais. Dispõe também de sala de reuniões e sala de provas.

5

A herdade dispõe de uma área total de vinha de 45 hectares, a maioria dos quais plantados em solos argilo-calcários com afloramentos graníticos. Este tipo de solos tem médio poder de retenção de água em profundidade, sendo extremamente necessário, mesmo nos meses de maturação, efectuar rega gota-a-gota de forma a garantir um adequado fornecimento de água e sais minerais, o que constitui um factor essencial e crítico para a qualidade das uvas do Monte da Ravasqueira. Faz parte da Rota dos Vinhos do Alentejo.

Herdade da Ravasqueira, vinho, herdade dos Mello

Com uma produção anual de cerca de 1.000.000 garrafas, o Monte da Ravasqueira realizou a sua primeira vindima em 2001, comercializando actualmente no mercado nacional e de exportação as marcas Prova, Calantica, Fonte da Serrana e Monte da Ravasqueira.

Exporta para vários países da Europa e do mundo como por exemplo Alemanha, Bélgica, Irlanda, Pólónia e Reino Unido. Fora da Europa exporta para Cabo Verde e Angola. Estados Unidos, Canadá e Brasil são outros países para onde o Monte da Ravasqueira exporta. Também para vários destinos na Ásia.

Vem aqui a propósito referir a excelente presença na Internet por parte da herdade, com um site pleno de informação actualizada, imagens com boa resolução, fáceis de descarregar, como se pode ver, facilitando desta forma muito o trabalho cá dos escribas, que se interessam não só pelo Syrah em si, como por toda a história, cultura e técnica por detrás de cada garrafa. Um exemplo a seguir por outros produtores.

Pedro Pereira Gonçalves, Enólgo, Monte da Ravasqueira, vinho

Foi pois assim que soubemos que as vinhas, com uma média de idade de dez anos, são conduzidas em cordão bilateral com o objectivo de optimizar a exposição solar, a maturação e a qualidade das uvas. Uma das particularidades dos vinhos brancos do Monte da Ravasqueira é o facto de serem todos vindimados à mão para caixas de 20 kg, permitindo vindimar um mesmo talhão duas vezes, apanhando uvas mais frescas em termos de acidez mais cedo e uvas mais maturadas com outro perfil aromático, uns dias mais tarde. Este procedimento permite a obtenção de diferentes lotes na adega. Toda a vinha está plantada em encostas com declive variável, o que proporciona uma variabilidade de equilíbrios e que permite, todos os anos, seleccionar as melhores zonas para cada vinho que se pretende produzir.

Uma vez Beethoven disse:
“Depois de um árduo dia de trabalho, uma taça de Syrah é um conforto.”
Não disse exactamente assim, mas podia ter dito.
O Syrah do Monte da Ravasqueira pode ser perfeitamente uma boa opção quer para o sexo masculino como feminino. Como tínhamos que o dizer, dissemos.

E assim nos vamos por hoje, acompanhados de uma reconfortante taça de Ravasqueira formato Syrah, ainda que não integral!

Classificação: 16/20                                                     Preço: 12,50€

ravasqueira_ft


 

Leave a Reply