A classificação usada no Blogue do Syrah

Avaliação2

Depois de termos sido questionados sobre critério de classificação usado aqui no Blogue do Syrah, decidimos publicar o texto seguinte, devido, explicando a base da nossa avaliação. Aqui vai.

Há classificações diversas que são usadas para avaliar vinhos. A mais internacional é a definida pelo conceituado crítico Robert Parker, que vai de 50 a 100 pontos. Há quem utilize a classificação clássica, adoptada no sistemas escolar tradicional, dos 0 aos 20 valores.

Robert Parker no seu afã classificativo.

 

Nós aqui no Blogue do Syrah utilizamos esta notação escolar, mas com uma variante, que vamos explicar. Só utilizamos 8 notas, e que são as seguintes: O 0 primeiro, e depois saltamos para o 14, e depois por diante o 15, o 16, o 17, o 18, o 19 e o 20.

Primeiro esclarecimento: Não usamos os meios valores, por exemplo, o 14,5 ou o 17,5, porque na nossa qualidade de professores quando um aluno tem num teste, ou num exame, ou num trabalho, um 16,5 por exemplo, arredondamos logo para o valor seguinte, ou seja, neste caso para 17. Como é que é possível, com objectividade, dizer que este vinho vale 15 e o outro vale 15,5?

Segundo esclarecimento: Não usamos as notas de 1 a 13. O 0 significa aquele Syrah mesmo intragável, não é bebível, mais, não é sequer digno de ser considerado vinho, quanto mais Syrah! O 14 significa que aquele Syrah é bebível, embora de qualidade fraca, mas não envergonha totalmente a casta que diz representar! A nota 15 já significa que estamos perante um Syrah com qualidade, e é bebível em qualquer ocasião. Segue-se o 16 até ao 19, atribuído a Syrah excepcional, quer ao nível dos aromas, da cor e da complexidade do conjunto. O 20 é a classificação reservada para o Syrah considerado excepcional, ou seja, vale 19, como o Syrah descrito anteriormente, mas para além disso tem aquele elemento diáfano, subtil, que podemos chamar de “mágico”, e que marca a diferença em direcção ao extraordinário. Esse Syrah merece não 19, mas sim 20!

Terceiro esclarecimento: A notação de Parker, embora dando a entender que é muito rigorosa, quanto a nós é um anacronismo. Como é possível distinguir,  ou diferenciar, um vinho pontuado com 85 pontos e outro com 86, ou 84 pontos? Que objectividade temos aqui?

Assim pensamos que com unicamente oito classificações conseguimos dar conta de todas as nuances possíveis na avaliação de um Syrah, mantendo como é desejável um maior grau de objectividade existente numa avaliação, que, obviamente, tem elementos de subjectividade sempre presentes!


 

Leave a Reply