Madre de Água, 100% Syrah, Terras do Dão, 2012

 

madre_garrrafa

O Syrah Madre de Água é o segundo Syrah a surgir no Dão, e mostra possuir qualidades que muito apreciámos.
O anterior, já analisado aqui, de 2010, tinha mostrado já competências que foram devidamente salientadas.

O Syrah da Quinta de Madre de Água é de 2012, e foi o representante do Dão na prova Cega de Syrah, que aconteceu no passado 3 de Outubro, em Lisboa, que foi quando o conhecemos. Deu boa parte de si e suscitou grande interesse por parte de vários jurados.

A empresa Madre de Água, Lda., situa-se na freguesia de São Pedro, concelho de Gouveia, distrito da Guarda. A empresa gira à volta de um Hotel, o Madre de Água Hotel Rural, que está localizado apenas a 5 minutos de carro da cidade de Gouveia, na encosta da Serra da Estrela, numa quinta que produz além de Syrah, queijo e azeite. É neste espaço algo idílico que se produz o Quinta de Madre de Água Syrah.

Este Syrah tem uma graduação alcoólica de 13,3%. A enóloga é Francisca Pereira. No rótulo da garrafa pode ler-se o seguinte: “A cor púrpura envolta em reflexos violáceos envolve-se graciosamente com os taninos concedendo um corpo médio com acidez leve. Invade os sentidos através do seu aroma de ameixa com toque mentolado compondo um belo bouquet ao nariz. Tipicamente frutado onde a especiaria ocupa lugar de destaque, proporciona um memorável prazer a quem o consome. Vinho de altitude, Terras do Dão.”

Quanto ao Hotel e natureza envolvente, é o refúgio certo para partir à descoberta de uma região emblemática de Portugal. Situado a cinco minutos de Gouveia, junto à aldeia de Vinhó e a pouco mais de 20 quilómetros da Torre, lá no alto da Serra da Estrela, o Hotel possui 10 quartos que oferecem conforto e atmosfera para viver o que há de mais autêntico e tradicional nesta região do país.

É o caso dos vinhos da Região Demarcada do Dão, que pode conhecer logo a partir da vinhas, como já foi referido. Extremamente cuidadas, compõem a paisagem que envolve todo o Hotel e é através delas que se produzem vinhos assentes em castas tão tradicionais quanto a Touriga Nacional, Tinta Roriz, Alfrocheiro, Jaen, Vinha Velha, Encruzado ou Gouveio e naturalmente agora com o Syrah.

O escritor francês Theophile Malvezin escreveu: “O vinho é feito para ser bebido assim como a mulher é feita para ser amada. Ambos possuem a frescura da juventude ou o esplendor da maturidade, mas não espere pela decrepitude”

Vamos ver se chega com facilidade a Lisboa!

Classificação: 17/20                                                            Preço: 17,00€

madre_ft


 

Leave a Reply