Blaudus Rosé, Quinta de Baixo, 100% Syrah, Bairrada, 2006

blaudus_garrafa

Este Blaudus Rosé Syrah da Bairrada, que acabamos de descobrir, é uma verdadeira preciosidade!

Para falar verdade quem o descobriu não foi o Blogue do Syrah mas sim os nossos confrades da Garrafeira Estado d’Alma! Tiago Paulo participou num leilão de vinhos e arrebatou um número elevado de garrafas onde se encontravam vinhos diversos da Quinta de Baixo. No meio dessas dezenas de garrafas surge quase por milagre uma única garrafa deste Blaudus Rosé, Quinta de Baixo, 100% Syrah, Bairrada, 2006! Imediatamente se lembrou de nós! E cá estamos para dar conta do acontecido, apesar de termos bem consciência de que se trata de um vinho que esgotou faz muito e até mesmo os actuais donos da Quinta de Baixo já são outros. A partir de Janeiro de 2012, a Niepoort passou a tomar conta das vinhas e da adega.

É pois um Syrah com 12,5% de graduação alcoólica e o enólogo foi Sérgio Silva. É um vinho limpo e brilhante. Aroma marcado pela casta, floral com notas de cassis fresco, frutado. Boca fresca, boa acidez, fruta persistente, elegante com terminar longo e ligeiramente fortificado.

O que verdadeiramente impressionou foi o facto de este Syrah ter aguentado 10 anos, mantendo na íntegra a sua class,e quando o próprio produtor indicava em 2006 “beber já ou guardar até dois anos!”

Com quase duas décadas de existência, a Quinta de Baixo situa-se no lugar da Cordinhã, concelho de Cantanhede. Com solos argilo-calcários os 22 hectares de vinha dividem-se em três quintas com idades compreendidas entre os 10 e os 80 anos, situadas no famoso triângulo: Cordinhã, Ourentã, Cantanhede, zona de aptidão máxima reconhecida na viticultura da Bairrada.

blaudus_bairrada

A Bairrada é caracterizada por um clima temperado marítimo, que possui Verões com dias quentes e noites frescas, e cujos limites geográficos são os extensos areais da costa de prata e as serras do Buçaco e do Caramulo. É também uma região de colinas suaves, soalheiras, com solos barrentos e argilo-calcários orientados a sul, o que pelos vistos ajudou a propiciar um rosé de inegável qualidade.
Pena é estar esgotado, como seria de esperar!

Cantava Fernando Pessoa, pela voz de Ricardo Reis:
Não só vinho, mas nele o olvido, deito
Na taça: serei ledo, porque a dita
É ignara. Quem, lembrando Ou prevendo, sorrira?
Dos brutos, não a vida, senão a alma,
Consigamos, pensando; recolhidos
No impalpável destino
Que não ‘spera nem lembra.
Com mão mortal elevo à mortal boca
Em frágil taça o passageiro vinho,
Baços os olhos feitos
Para deixar de ver.

Ricardo Reis, in “Odes”

Deste Rosé Syrah, deitar na taça é coisa que já ninguém poderá fazer!

(Este Rosé Syrah foi gentilmente oferecido pela garrafeira Estado d`Alma. O nosso obrigado!)

Classificação: 16/20                                                     Preço: 3,25€


 

Leave a Reply