Zappa e Syrah

Sorver com requintes de absoluto deleite enormes quantidades de Syrah , sobretudo português, a um ritmo frenético, qual música celestial, não é a única paixão do Blogue do Syrah, embora seja uma das principais.

Há outras músicas e outros ritmos que nos apaixonam com igual pujança, por exemplo a música de Frank Zappa. Dada a nossa antiguidade, esta melomania vem desde os idos de 70 no século passado, começando obviamente por saudosos discos de Vinil e Cassetes, mais tarde pelos Compact Disc e actualmente ficheiros que nos acompanham nestas maquinetas para todo o lado. Frank Zappa infelizmente partiu cedo desta vida descontente, mas a sua música permanece no nosso dia-a-dia, cada vez tem mais adeptos, cada vez há mais músicos a recriarem a sua genial música. Fomos de tal modo afortunados que tivemos oportunidade de o ver e ouvir ao vivo em Madrid, Maio de 1988… foi um marco na nossa vida!

Mas adiante.

Tudo isto vem a propósito de termos encontrado em deambulação pelo mundo virtual um artigo da revista revista online Hype Science um texto sobre uma nova possibilidade: que as bactérias do ser humano possam ser transmitidas ao mundo vegetal. Tal aconteceu com o Acne. A transferência por patogénese de uma espécie para outra não é um fenómeno desconhecido da ciência – já aconteceu entre animais domesticados e o homem, mas, até agora, sempre foram de animal para animal, nunca entre dois reinos diferentes, como animais e plantas. Assim, foi com surpresa que cientistas constataram que as videiras podem adquirir um bem conhecido micróbio do ser humano, a Propionibacterium Acnes, causadora da acne. A bactéria foi encontrada na casca. A descoberta foi feita no Research and Innovation Center – Fondazione Edmund Mach, na Itália, que examinaram colónias de bactérias que crescem na videira comum, Vitis Vinifera, no noroeste do país. A análise genética da bactéria, e a comparação com outras bactérias, levou os cientistas a fazer uma estimativa de quando ela migrou para as videiras: aproximadamente 7.000 anos atrás, mesma época em que a planta foi domesticada, durante o Neolítico. De lá para cá, a bactéria se adaptou completamente a seu novo hospedeiro, e não pode mais retornar para os humanos.

E agora vem a parte delirante deste assunto. Estes citados cientistas italianos decidiram chamar a tão estranha bactéria P. Acnes tipo Zappae, ou apenas P. Zappae, em homenagem, imagine-se, ao nosso bem conhecido Frank Zappa!

Curiosamente, as plantas que contém esta denominada P. Zappae são saudáveis, o que sugere que a bactéria não tem efeito negativo sobre a nossa igualmente querida videira, talvez até mesmo beneficiando a sua estrutura. Apesar de ser o primeiro exemplo de uma transferência de patógenos de humanos para plantas, acredita-se que a mesma bactéria pode viver noutras plantas, e que outros tipos de bactéria podem ter sido transferidas de humanos para plantas.

E pronto, cada um que rumine este assunto ao som eterno da música do mestre, sorvendo um belo Syrah de mestre, mesmo que proveniente de uma videira com acne.

Nunca mais alguém tocou guitarra assim!


 

Leave a Reply