Daily Archives: 18/09/2017

Quinta do Valdoeiro,100% Syrah, Bairrada, 2015

Mas que grande desilusão!
É com muito pesar que o afirmamos, assim, de chofre.
Este Syrah da Quinta do Valdoeiro foi mesmo um desapontamento. Nem o facto de ser do ano de 2015 abona minimamente a seu favor. Como foi isto possível? Foi na vinha? Costuma dizer-se que um Syrah faz-se na vinha. Portanto que aconteceu na vinha para dar este resultado?
Visto friamente, este Syrah da Quinta do Valdoeiro 2015 não é um mau Syrah, mas está muito aquém dos seus irmãos de 2010 ou 2007, daí a desilusão.
Por isso é que perguntamos: que é que aconteceu?
Se não foi na vinha, então foi na adega… Mais do que isso não podemos dizer porque não temos meio de o saber, a não ser que este Syrah destoa das colheitas anteriores. Será também por isso que o preço é bem diferente, para menos? Não deixa de ser intrigante. Não sendo impossível, não é habitual!

A Quinta do Valdoeiro faz parte duma companhia, a Sociedade Agrícola e Comercial Vinhos Messias, que congrega três quintas. A companhia foi fundada em 1926, por Messias Baptista, que manteve a administração da empresa até 1973. A Administração das Caves Messias é ainda nos dias de hoje assegurada pelos descendentes da família Messias.
Desde a sua fundação que tem produzido e comercializado vinhos das principais regiões demarcadas: Dão, Bairrada, Douro, Vinho Verde, Beiras e Vinho do Porto. A empresa é também reconhecida pela alta qualidade dos seus vinhos Espumantes Naturais e Aguardentes. A sede da MESSIAS está situada na Mealhada, pequena cidade da região da Bairrada, onde a empresa possui mais de 6.000 metros quadrados de instalações e aproximadamente 160 hectares de vinha, sendo 70 hectares destinados à produção dos vinhos da Quinta do Valdoeiro.
A Quinta do Cachão tem as suas encostas adjacentes ao rio Douro, na sub-região do Cima Corgo. A vinha foi plantada pela primeira vez em 1845 pelo Barão do Seixo sendo mais tarde adquirida pela família Afonso Cabral, que por sua vez a vendeu à família Messias no ano de 1956.
A Quinta do Penedo é constituída por uma área de 20 hectares e situa-se no coração da Região Demarcada do Dão, mais precisamente no interior do triângulo clássico Viseu-Nelas-Mangualde. A sua origem como vinha remonta ao ano de 1930, pela mão do General Lobo da Costa, tendo permanecido na família até 1998, ano em que foi adquirida pela família Messias.

Até que chegamos à Quinta do Valdoeiro, que é uma bem estruturada propriedade agrícola da região vitivinícola da Bairrada. Possui 130 hectares, 70 dos quais plantados com vinha em solos calcários de baixa fertilidade. A ligeira ondulação do relevo, as encostas voltadas a sul e nascente, assim com a implantação das castas separadas por talhões, são factores que contribuem para a qualidade das uvas aí produzidas. E é neste ambiente que se produz o nosso Syrah, para além das variedades tintas Touriga-Nacional, Baga, Castelão e Cabernet-Sauvignon.

Outra coisa ainda que estranhámos, foi a diferença de graduação em relação à colheita de 2010 que tinha 14,5% de graduação alcoólica, o presente, de 2015, tem 12,5%. É dos Syrah portugueses com menor graduação alcoólica!

O poeta persa dos séculos XI e XII Omar Khayyan no seu eterno poema Rubaiyat diz o seguinte:
“Ouço dizer que os amantes do vinho serão castigados no inferno. Se os que amam o vinho e o amor vão para o inferno o paraíso deve estar vazio.”
Isto poderia ser verdade se os amantes bebessem o Syrah da Quinta do Valdoeiro 2010.
Agora com o Syrah de 2015 temos muitas dúvidas que o paraíso esteja vazio!

 

Classificação: 15/20                                                                             Preço: 8,90€