Couteiro-Mor, Herdade do Menir, 90% Syrah, Alentejo, 2015

Hoje apresentamos um Syrah novo em absoluto, do Alto Alentejo, de Montemor-o-Novo.
Couteiro-Mor de seu nome, tem 90% de Syrah e 10% de Viognier.

A descoberta deste Syrah deve-se ao leitor do Blogue do Syrah, Rui Marques, que em tempo devido nos enviou uma mensagem a dar conta desta descoberta.
Eis o que nos dizia:
“Bom dia.
Sendo um seguidor assíduo do Blog do Syrah, levo ao vosso conhecimento um avistamento que fiz no Pingo Doce de Tomar.
Trata-se do Couteiro-Mor Syrah 2015, sobre o qual junto fotos do mesmo.
Confesso que não o trouxe comigo, porque previamente faço consulta do vosso “parecer” no Blog, mas não o encontrei.
Assim, se tiverem oportunidade de o avaliar, gostaria de ver a vossa resenha.
Boa continuação do vosso projeto.
Abraço.
Rui Marques”
Isto aconteceu nos princípios de Outubro e depois de quinze dias o Rui Marques presenteou-nos com uma garrafa de Syrah Couteiro-Mor. Mas que maravilha ter leitores assim.
Rui Marques, grande amigo, muito obrigado!

As notas de prova dizem que se trata de um “vinho perfumado, de cor aberta e com bastante elegância, fazendo jus à origem das suas castas.” Na boca é sem dúvida um vinho adocicado, mesmo fumado, um cheiro presente a enxofre. Tem 14,5% de graduação alcoólica.

Mas eis que vem a grande surpresa deste Syrah: a enologia é partilhada e temos como cabeça de cartaz o “Senhor Alvarinho” o mais destacado enólogo dos vinhos verdes, Anselmo Mendes coadjuvado pelo seu discípulo Diogo Lopes, aqui a esquecer por momentos Monção e Melgaço e a embrenhar-se no mundo do Syrah. Foi uma surpresa total!
Depois disto, é esperar para ver o “Senhor Baga”, Luís Pato, fazer também um Syrah! Ah!Ah!Ah!Ah!

E agora um pouco de história sobre a herdade. Em 2012, a Herdade do Menir foi adquirida por uma família algarvia que assume a liderança da herdade e de todas as suas marcas. Neste contexto, surge uma nova gama de vinhos, que se destacam pela sua qualidade – Barão Rodrigues Reserva Tinto e Branco. A família Barão Rodrigues compromete-se em dedicar toda a sua paixão na produção de um vinho de qualidade, tendo como base toda a sabedoria e tradição do Alentejo. A área total da herdade é de cerca de cinquenta hectares e a área de vinha é de quase quarenta hectares.

E o nome deste Syrah e de outros vinhos desta herdade tem a seguinte explicação: Couteiro-mor era o guarda das coutadas – zona de caça – onde o rei caçava. Em 1988 e pela mão do Sr. Gabriel Francisco Dias, foi efectuada a primeira venda de uvas produzidas na Herdade do Menir a outras adegas. Em 1990 aventurou-se na construção de uma adega com o objectivo de vinificação das suas próprias uvas, sendo em 1991 produzido o primeiro vinho da marca comercial Couteiro-Mor. A adega foi construída em 1990 e desde então tem sido sujeita a sucessivas alterações no sentido da sua ampliação e modernização, por forma a dar resposta ao aumento de produção e à crescente procura dos vinhos da casa bem como à ambição da empresa de melhorar a qualidade dos seus vinhos. A capacidade total de fermentação é de cerca de meio milhão de litros e a capacidade total de armazenagem ultrapassa o milhão de litros.

E acabamos com uma citação do grande escritor francês François Rabelais, que com uma simples fórmula resume tudo o que está aqui em causa:
«O Syrah é o que mais civilizou o mundo.»
Assim é que se fala!

 

Classificação: 16/20                                                            Preço: 6,99€

Leave a Reply