El Duende, Grande Reserva, ToreroWines, 95% Shiraz, Alentejo, 2010

Eis um Syrah que o seu autor prefere chamar Shiraz, devido ao tempo que, como enólogo, passou na Austrália e bebeu a influência dos Shiraz que por lá se fazem e que, como se sabe, constitui a casta número um daquele país!

Trata-se de um Shiraz de autor. Trabalhado pacientemente por André Herrera Almeida, enólogo que, apesar de só agora se lançar a solo, possui já uma longa experiência, tendo trabalhado em múltiplos lugares, sendo um dos mais significativos a empresa Fita Preta do nosso bem conhecido António Maçanita. Sendo de 2010, só agora foi lançado no mercado, em Setembro deste ano. Foram sete longos anos de estágio. Primeiro tópico original!

O segundo tópico original deste Syrah é que possui 5% de Aragonês. Em Portugal é, sem dúvida, a primeira experiência do género! A escolha de aragonês, o conhecido Tempranillo da nossa vizinha Espanha prende-se com as origens castelhanas do nosso enólogo. E que bem que combinam!

As notas do enólogo dizem-nos o seguinte: “obcecado com o brilhantismo da fruta do Shiraz de Victoria, na Austrália, quis criar uma fusão de expressão de fruta com uma enologia de intervenção de um clássico Aragonez da nossa latitude. O extremo nível de estágio deste vinho resulta num desconcertante enlace entre a pureza da fruta e as mais finas notas de boa evolução.” A graduação alcoólica é de 16%. A produção deste Shiraz é unicamente de mil quinhentas e doze garrafas. O estágio foi de três anos em barricas novas de Tronçais, seguido de quatro anos em garrafa.

A vinha está situada em Borba. O clima mediterrâneo possibilita uma amplitude térmica bastante ampla e os solos pobres da transição do mármore para o xisto sem rega permitem que apesar da sua baixa produtividade, se criem condições para uma maturação de grande concentração e retenção de frescura. A colheita foi manual e transportada em pequenas caixas de doze quilos a frio para a adega. Os cachos foram transportados através da mesa de escolha para pequenos lagares de trezentos quilos onde se dá a fermentação durante sete dias sem controlo de temperatura. Durante uma couvesion de cerca de dois meses dá-se a fermentação maloláctica. Após a suave prensagem todo o vinho segue para barricas novas de carvalho.

Esta preciosidade pode apenas ser encontrada e adquirida no Meson Anduluz, em Lisboa, e, nas palavras de André Herrera, o conceito base de todo o projecto é a ligação do Velho e do Novo Mundo, de mãos dadas neste caminho para o que se considera ser os vinhos do Próximo Mundo.
Este Shiraz, da nossa parte, está amplamente aprovado!

É caso para poder dizer como Francisco Trindade:
«Amo-te Syrah! Tive um caso com a cerveja, mas foi passageiro!»

 

Classificação: 19/20                                                                                   Preço: 24,00€

Leave a Reply