Monte Judeu, Adega Cooperativa Dois Portos , 100% Syrah, Lisboa, 2004

Uma autêntica preciosidade perdida nos confins das “bibliotecas vinícolas” e descoberta para o Blogue do Syrah pelo sempre prestável e amigo Tiago Paulo, da garrafeira Estado de Alma!
Última colheita deste Syrah a 100%, de Lisboa, de nome Monte Judeu, e da Adega Cooperativa Dois Portos!

Este Syrah, cujas notas de prova nos dizem que “tem cor granada carregado com reflexos violetas, apresenta um aroma vinoso intenso à casta, lembrando frutos vermelhos maduros. Uma excelente estrutura de boca, uma ligeira adstringência final, consequência de um curto estágio de três meses a que foi submetido em barricas de carvalho francês!” Tem 13,5% de graduação alcoólica. Foram feitas cinco mil garrafas. O nome deste Syrah é devido ao nome da vinha de um associado. O enólogo responsável é Alexandra Mendes com quem tivemos oportunidade de falar com o objectivo de investigar tudo que está ligado a este Syrah.

A Adega Cooperativa Dois Portos fica situada em pleno centro da região demarcada de Torres Vedras, foi fundada a 24 de Fevereiro de 1960 e iniciou a sua laboração em 1964, ano em que se deram por concluídas as obras do projecto inicial, apenas com 188 associados, é actualmente composta por cerca de 1000 Cooperadores e abrange uma área social da qual cobre cerca de 80%, que se circunscreve às freguesias de Dois Portos, Runa, S. Domingos de Carmões e parte da freguesia de S. Pedro do Concelho de Torres Vedras; parte da freguesia de Enxara do Bispo do concelho de Mafra e parte das freguesias do concelho de Sobral de Monte Agraço. Com uma percentagem de produção que ronda os 70% nas uvas tintas e os 30% nas uvas brancas, fabrica anualmente cerca de 15 000 pipas de vinho, tendo como castas predominantes nas uvas tintas: Castelão (Periquita), Alicante Bouschet, Aragonez e Syrah. Nas uvas brancas: Fernão Pires, Vital, Alicante e Seara Nova.

No aspecto tecnológico tem esta Adega acompanhado as mais modernas técnicas de vinificação com a consequente melhoria da qualidade dos seus vinhos. Desde a colheita de 1986 mantém a Adega em vigor um sistema de bonificação no pagamento das uvas de castas nobres da região desde que as mesmas reúnam determinadas características. Após a criação da região demarcada de Torres Vedras, iniciou o fabrico de D.O.C. e vinhos Regionais, com as castas tradicionais que já se destinavam às nossas reservas. A Adega Cooperativa Dois Portos ao longo da sua existência tem vindo a desenvolver uma preocupação com a protecção do ambiente. Dessa forma, todos os produtores associados são sensibilizados sobre o impacto que a actividade agrícola tem sobre o solo, os lençóis de água e os seres vivos e incentivados a cumprir as normas da Protecção Integrada.
Desde o aspecto geológico com representação de todas as idades, na apreciação climática considerando a transição entre a zona de ventos húmidos e permanentes de Oeste e a dos estios secos. O tipo de vegetação da parte norte aproxima-se de um tipo da Europa Central, enquanto na extremidade meridional já apresenta características mediterrânicas.

A vinha, ainda que com uma grande capacidade de adaptação aos diversos tipos de solos, encontra na diversidade da região manifesta preferência por alguns destes, designadamente os solos calcários pardos ou vermelhos de margas ou parabarros e arenitos finos, os solos mediterrânicos pardos ou vermelhos normais e ainda os solos litólicos não húmicos, estes com representação na parte mais setentrional da região.

Há um provérbio francês que diz :
“Um bom Syrah não necessita de rótulo.”
Aqui está um bom exemplo disso.
Monte Judeu de 2004 !
Só temos mesmo pena é que os responsáveis desta adega cooperativa não tenham percebido as potencialidades deste Syrah em termos de futuro.
É por isso que se diz que o futuro é dos audazes !

 

Classificação: 17/20                                                            Preço: 5,50€

Leave a Reply