Quinta da Alorna, 100% Syrah, Tejo, 2016

Há Syrah mais difíceis de arranjar do que outros!
Este Quinta da Alorna de 2016 teve as suas dificuldades mas devido ao João Calado da loja da Quinta da Alorna e a generosidade da Martta Reis Simões, a enóloga da Quinta, o que parecia algo de difícil acesso acabou por ser acessível!
E ainda bem porque este Syrah merece ser conhecido e divulgado!

E qual é o melhor sítio para divulgar um Syrah português do que o Blogue do Syrah?

Ao longo destes anos vamos sedimentando convicções! Hoje apresentamos mais uma, que de alguma maneira, temos feito menção ao longo da apresentação de vários Syrah. Os Syrah feitos por mulheres são sempre bons! Os Syrah feitos por homens estão sujeitos à prova da degustação para podermos afirmar o mesmo!

Dizemos isto baseado em quê? Em experiência! Todos os Syrah feitos por mulheres são sem excepção de qualidade! Parece que há uma ligação “especial” entre esta casta e a condição feminina! Pode parecer uma “patetice” mas o Blogue do Syrah tem como prova todos os Syrah feitos por enólogas! O Syrah da Quinta da Alorna do ano de 2016 volta a comprovar esta nossa teoria! Mais: Tem uma relação qualidade/ preço absolutamente incrível como se pode ver no final deste texto! É desde já candidato a melhor Syrah do ano, nesta mesma categoria!

Como já foi dito a enóloga é a Martta Reis Simões. Já tinha feito o Syrah de 2013, mas agora com a colheita de 2016 é que o Syrah da Quinta da Alorna se posiciona ao lado dos seus irmãos lusitanos!

Trata-se de uma produção pequena, de apenas 3200 garrafas. As notas de prova dizem-nos que possui “cor rubi com aroma intenso de fruta preta madura com notas de especiarias e chocolate. É equilibrado, redondo e delicado com um final de boca persistente predominando as notas de fruta preta.” Tem uma graduação alcoólica de 13,5%.

Quinta da Alorna nasceu em 1723, mais tarde D. Pedro de Almeida, o I Marquês de Alorna, após ter liderado a conquista da praça-forte de Alorna na Índia, conferiu à propriedade o nome que hoje tem.

Na margem do Rio Tejo e com a entrada marcada por uma árvore magnífica e rara no mundo, conhecida por bela sombra, a Quinta da Alorna destaca-se não só pela qualidade dos vinhos que produz como também pelos seus espaços naturais.

Com uma área total de 2.800 hectares, localizada no centro de Portugal, próxima de Santarém, a Quinta tem vindo a diversificar as suas áreas de negócio tendo como princípios a sustentabilidade, responsabilidade social e conservação da natureza.

Os vinhos da Quinta da Alorna são feitos a partir de uma selecção das melhores castas e produzidos com recurso às novas tecnologias de vinificação.

Com 220 hectares de vinha que se divide entre castas como Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon, Alicante Bouschet, Arinto, Chardonnay e Syrah que representa um pequeno nicho que deve ser defendido e preservado.

Com uma produção média anual na ordem dos 1,85 milhões de litros, a Quinta da Alorna vende cerca de 50% da sua produção anual no mercado interno e exporta os restantes 50% para 25 mercados. Para o futuro, o objectivo consiste em aumentar o volume das exportações e manter a tendência positiva de crescimento.

Toda a actividade da Quinta da Alorna assenta numa política adaptada às necessidades de mercado e direccionada para a qualificação, recorrendo a ferramentas de certificação agro-ambientais, procedimentos e normas que garantem a qualidade do produto, a protecção do ambiente e a segurança dos colaboradores.

A componente agrícola da Quinta da Alorna centra-se na produção de uva sendo que a cultura do milho, batata, ervilha e cebola representa um volume de produção relevante que tem como destino, essencialmente, a indústria.

Com 1.900 hectares de floresta, onde predomina o pinheiro, sobreiro e eucalipto, a Quinta da Alorna tem vindo a realizar, ao longo dos anos, um investimento considerável na conservação da fauna e flora.

Na vinificação, colheram-se manualmente as melhores uvas Syrah da Quinta da Alorna. Após maceração pelicular pré-fermentativa a frio de 2 dias, seguiu-se a fermentação alcoólica durante 10 dias com remontagens suaves e uma temperatura controlada de 23°C . O vinho foi micro-oxigenado até à indução da fermentação maloláctica. Por fim, o vinho estagiou em barricas de carvalho Americano de segunda utilização, durante 4 meses. O rótulo diz que “este Syrah pertence a uma colecção de monovarietais da Quinta da Alorna e é o resultado da investigação contínua e dedicação da equipa de Viticultura e Enologia.”

André Simon, comerciante e escritor de vinhos francês disse que “Syrah faz de uma refeição uma ocasião, a mesa mais elegante e cada dia mais civilizado.”

Aí está, este Syrah proveniente duma casa com quase trezentos anos de idade pode bem servir de sustentáculo à afirmação do escritor! Saúde!

 

Classificação: 16/20                                                   Preço: 3,95€

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.