Tapada de Sabogos, 100% Syrah, Terras de Sicó, 2017

Hoje apresentamos um duplamente novo Syrah!
Novo por um lado, porque é a primeira colheita e por outro porque é o primeiro de que temos conhecimento desta região vinícola. Melhor dizendo de uma sub região vinícola!
O Syrah chama-se Tapada de Sabogos, da quinta com o mesmo nome, e é o primeiro Syrah das Terras de Sicó!
É um Syrah a 100% do ano de 2017, logo muito novo, muito frutado e com um caminho ainda por fazer!

A garrafa aqui apresentada não tem rótulos porque ainda não estão feitos, e segundo o produtor Ramiro Rodrigues não há perspectiva de quando é que estarão prontos.

O enólogo responsável por este Syrah é Gonçalo Moura da Costa, agrónomo de formação e que trabalha na área da enologia há doze anos. Actualmente é enólogo residente da Fundação Assistência, Desenvolvimento e Formação Profissional, em Miranda do Corvo; consultor enológico da associação de produtores de vinhos das Terras de Sicó – Vinisicó; sócio e director de produção da empresa “Two friends”; é ainda enólogo das empresas Casa d`Alfafar, Encosta da Criveira, Vinhos Alegre, Tapada de Sabogos, Vale da Brenha e Quinta da Baforeira.

Os vinhos Terras de Sicó, produzidos na IG Beira Atlântico, sub-região Terras de Sicó, segue as tecnologias de elaboração e as práticas enológicas tradicionais, bem como as legalmente autorizadas.

A área geográfica de produção limita-se aos concelhos de Alvaiázere, Ansião, Condeixa-a-Nova, Penela e Soure e as Freguesias de Lamas (Miranda do Corvo), Abiúl, Vila Cã, Redinha e Pelariga (Pombal) e Aguda (Figueiró dos Vinhos); inserindo-se numa mancha de vinha localizada no Litoral Centro de Portugal. São solos de origem argilo-calcárea, de diferentes nuances com pequenos afloramentos de xisto, povoando o verde das encostas solarengas da Serra de Sicó com um clima de Invernos frios e húmidos e verões quentes e secos. Nestas vinhas, podadas em vaso (as mais antigas) e em cordão bilateral (as mais recentes), predominam as seguintes castas:

Brancas: Fernão Pires, Rabo de Ovelha, Arinto e Cerceal.
Tintas: Alfrocheiro Preto, Baga, Bastardo, Rufete, Tinta Roriz, Trincadeira e Touriga Nacional e em pequena quantidade a Syrah!

Os vinhos produzidos na Sub-Região de Terras de Sicó só podem ser comercializados após o estágio mínimo de seis meses, devendo ter um título alcoómetro natural mínimo de 90% em volume e um título alcoómetro adquirido mínimo de 10,0 % em volume, devendo os restantes parâmetros analíticos apresentar os valores definidos para os vinhos de mesa em geral. O vinho rosé, ou rosado, deve ser elaborado pelo processo de “bica aberta” ou com uma ligeira curtimenta.
A produção de vinhos na sub-região remonta ao tempo dos romanos, fazendo disso prova os diversos lagares talhados nas rochas graníticas (lagares antropomórficos), onde na época o vinho era produzido. A sua qualidade foi sendo alvo de destaque ao longo da nossa história.

O território “Terras de Sicó” situa-se na Região Centro de Portugal, englobando a totalidade da área dos Municípios de Alvaiázere, Ansião, Condeixa-a-Nova, Penela, Pombal e Soure em torno do maciço da Serra de Sicó, somando um total aproximado de 1.500 km2. No território das Terras de Sicó habitam cerca de 121.000 habitantes (censos 2001) – numa densidade populacional de 80,6 hab/km 2.

A nossa citação de hoje de algum modo se prende com a descoberta deste Syrah! É uma citação anónima que diz que “O melhor fertilizante para o vinhedo é a sombra do viticultor.” É mesmo isso… que lembra este Syrah!

 

Classificação: 16/20                                           Preço: 5,00€

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.