All posts by Raul PC

Planura, Unicer Vinhos S.A., 100% Syrah, Alentejo, 2014


aqui tínhamos falado deste Planura Syrah. O ano foi de 2010. Hoje vamos apresentar a colheita de 2014. Este é um Syrah da responsabilidade da Unicer Vinhos, empresa bem conhecida de vinhos, cervejas, refrigerantes e águas engarrafadas.

Planura é um vinho Regional Alentejano que resulta de um rigoroso controlo de qualidade vitícola e enológico, dando origem a vinhos harmoniosos e equilibrados. O enólogo de serviço é Filipe Sevinate Pinto. A graduação alcoólica é de 14,5%. As notas de prova do enólogo dizem que o “Planura Syrah apresenta uma cor intensa e uma distinção aromática surpreendente, onde predominam os aromas a chocolate, compota e algumas notas fumadas. A sua estrutura de taninos confere uma prova cheia, frutada e elegante.”

A Unicer está presente de Norte a Sul do país, conta com 1350 colaboradores, possui 13 estabelecimentos que incluem centros de produção de cerveja, de sumos e refrigerantes, e de vinhos, assim como centros de captação e engarrafamento de água, além de vendas e operações. A Unicer exporta 150 milhões de litros, tem 90.000 camiões de transporte para 50 países.

O Syrah veio encontrar no clima quente e seco da região alentejana, condições óptimas para o desenvolvimento de vinhos de perfil ímpar, simultaneamente maduros e frescos, muito diferentes nas suas características dos obtidos desta mesma casta noutros locais como na região francesa do Ródano, onde inicialmente teve maior expansão. Apresenta cor intensa, grande distinção aromática, com predominância de aromas a chocolate, compotas e algumas notas fumadas. A sua estrutura de taninos confere uma prova cheia, frutada e elegante. Região de ondulantes planícies, o Alentejo apresenta uma paisagem relativamente suave e plana que se estende por quase um terço de Portugal continental.
Só a Serra de São Mamede, a norte da denominação, se diferencia do padrão. Os solos alternam entre o xisto, argila, mármore, granito e calcário, numa diversidade pouco comum. O clima é claramente mediterrânico, quente e seco, com forte influência continental.

O Alentejo encontra-se dividido em oito sub-regiões, Borba, Évora, Granja-Amareleja, Moura, Portalegre, Redondo, Reguengos e Vidigueira, agrupadas em três grupos distintos. Portalegre é a sub-região mais original, com solos predominantemente graníticos, influenciada pela frescura da Serra de São Mamede. A paisagem oferece inúmeras parcelas de vinhas velhas, plantadas nas encostas íngremes da serra, beneficiando de um microclima único que confere frescura e complexidade. Borba, Évora, Redondo e Reguengos personificam a identidade alentejana, terra de equilíbrio e harmonia, na proporção certa entre frescura e fruta, energia e suavidade. As sub-regiões de Granja-Amareleja, Moura e Vidigueira, no Sul da denominação, oferecem vinhos mais quentes e suaves, com terras pobres e secas, onde a vinha sofre com a dureza do clima e a pobreza dos solos.

Tem-se falado muito, pelos piores motivos, do presidente dos Estados Unidos. Vem a propósito relembrar o que dizia um dos primeiros presidentes dos estados Unidos Thomas Jefferson:
“Não há País embriagado onde o Syrah seja barato!”
Até nisto os americanos falham a propósito de Portugal. O Syrah Planura pela qualidade apresentada é relativamente barato!

 

Classificação: 16/20                                                     Preço: 4,99€


 

Quinta dos Termos, Reserva do Patrão , 100% Syrah, Beira Interior, 2012

A presentamos aqui a terceira colheita do Syrah da Quinta dos Termos da Beira Interior. A segunda de 2009 foi apresentada aqui há precisamente dois anos. É um Syrah de qualidade, mantemos o que dissemos anteriormente. É um Syrah de soberba qualidade, podemos desde logo dizer, estes anos depois. As notas de prova dizem que “é rico de cor, tem aroma intenso e torna-se muito atraente na boca, graças aos seus taninos aveludados”, e tem uma graduação alcoólica de 14%.

Há uma particularidade que nos chama a atenção. É o único Syrah português, que nem no rótulo da frente, nem da parte de trás da garrafa, nos diz que se trata de um monocasta Syrah a 100%. No entanto o rótulo da frente diz-nos sim que se trata da “reserva do patrão”, mostrando bem que o produtor, João Carvalho, igualmente professor universitário na Universidade da Beira Interior e também presidente da Comissão Vitivinícola da Região da Beira Interior, tem bom gosto!

A Quinta dos Termos está de costas viradas para a Serra da Estrela, com exposição sul, em declive meio acentuado e resguardada a norte pela montanha que a delimita. A Quinta dos Termos apresenta um terroir próprio que marca de forma indelével os vinhos ali produzidos. A Quinta é possuidora de um microclima próprio e de terras pobres, que naturalmente disciplinam as variedades mais produtivas. Ali se cultivam as castas tradicionais da Beira Interior, tais como Trincadeira, Jaen, Rufete, Marufo, Tinta Roriz, Tinto Cão, Afrocheiro Preto, Touriga Nacional, Baga, Siria e Fonte Cal e ainda algumas do Novo Mundo tais como Petit Verdot e Sangiovese. Esta quinta é o maior produtor da região com Denominação de Origem da Beira Interior, actualmente a produzir cerca de 700 mil litros por ano.

A propriedade de 56ha tenta ser o mais biológica possível, não usando herbicidas nem pesticidas e prezando sempre a utilização de produtos naturais, que, apesar de serem menos eficazes e darem mais trabalho, compensam no resultado final. Os solos são graníticos e ricos em sílica. O portfólio da Quinta é composto por 22 vinhos, sendo 14 Tintos, 4 Brancos 1 Rosé e 3 Espumante Natural, todos eles com a marca Quinta dos Termos. Em 1993, terminados os arrendamentos, a Quinta volta novamente para a família na pessoa de João Carvalho, filho de Alexandre Carvalho, que resolve dar corpo ao projecto de viticultura actual. João Carvalho a partir de 1993, aliando a sua vida de empresário têxtil e de professor do Departamento de Ciência e Tecnologia Têxteis da Universidade da Beira Interior, decide meter mãos à obra e começa por reestruturar as vinhas. Adquire novas parcelas, ilhas isoladas no interior da Quinta e novos direitos de plantação, possuindo hoje cerca de 42 ha em plena produção e 12 ha em início de produção.

A Quinta dos Termos tem actualmente cerca de 180 ha e dispõe de uma área vitícola em produção com 54 ha de castas seleccionadas, entre elas as tintas Touriga Nacional, Alfrocheiro Preto, Tinta Roriz, Trincadeira Preta, Jaen, Rufete, Marufo, Baga, Sangiovese, Syrah, Petit Verdot, Tinto Cão, Vinhão e as brancas Síria, Fonte Cal e Riesling. A produção do vinho encontra-se certificada pelo regime de Produção Integrada.

A citação de hoje é de um teólogo do séc. XVI, Francisco de Monçón que disse:
“Nem por o pão ser mais necessário, o Syrah deixa de ser mais precioso.”
Ficamos por aqui, até porque temos que acabar de beber o jarro de Syrah da Quinta dos Termos 2012!

 

Classificação: 16/20                                           Preço: 10,00€


 

Concurso Internacional “Syrah du Monde” 2017


A 11ª edição dos melhores Syrah do mundo irá ter lugar no Château d’Ampuis na Côte du Rhône em França entre os dias 17 e 19 de Maio de 2017 em Ampuis.

O Concurso Internacional “Syrah du Monde” é a única confrontação internacional consagrada  a uma única casta.

Entre as seis castas mais plantadas e comercializadas no mundo, a reputação da Syrah está em constante evolução e dá origem a alguns dos grandes vinhos tintos do mundo. A sua forte personalidade marca os vinhos de uma forma indelével. A Syrah dá em todo o mundo, em função do terroir, do clima e da arte do enólogo, nascimento a vinhos ricos e complexos com um forte potencial aromático.

A casta Syrah é actualmente um varietal em expansão, pense-se em Portugal, que dá resultados impressionantes em muitas partes do mundo. Assim este Concurso Internacional “Syrah du Monde” tem como missão reunir a vasta selecção de vinhos da uva Syrah e, assim, oferecer aos provadores especialistas experientes a sagacidade duma paleta aromática de extraordinária complexidade: framboesa, groselha, mirtilo, alcaçuz, catechu, violeta, baunilha, azeitona,  pimenta preta, fumo, tabaco, trufas, couro, vegetação rasteira, âmbar etc …etc…

Os produtores portugueses de Syrah, podem inscrever-se aqui.

Toda esta matéria prima reunida num único espaço reforçada pelo aroma rico da Syrah do mundo inteiro é um trunfo importante na comunicação. Para o produtor, é a oportunidade de descobrir a qualidade de seus produtos. Para o consumidor, esta é a garantia de um registro profissional de alto nível para guiá-lo em sua escolha.

Quando isso não chega o Blogue do Syrah diz: Presente!


 

Coisas de Vinho – O Vinho e a Cultura

Voltamos dia 27 com o Vinho e a Cultura.

A Ervideira é o produtor convidado na pessoa do Engº Duarte Leal da Costa.

A sua presença é importante, sinta-se convidado.


 

António Agrellos, um Enólogo do Douro que faz Syrah!

Desde a segunda metade dos anos 90 que se produz Syrah em Portugal. O Blogue do Syrah tem feito o seu papel na divulgação desse percurso por terras lusas. Já dissemos várias vezes que em Portugal se produz algum do melhor Syrah do mundo! Como o Syrah é feito por pessoas, é natural que o Blogue do Syrah fale de quem colocou o Syrah português nas bocas do mundo, já que são eles os principais responsáveis pelo aparecimento deste espaço de apresentação, apreciação, devoção e divulgação.

Na sequência de artigos anteriores sobre os enólogos que fazem Syrah em Portugal, cabe-nos hoje a honra de apresentar António Agrellos, que tem no seu currículo dois Syrah, cada um com várias colheitas. Syrah de qualidade feito numa terra que para muitos não foi feita para Syrah! No entanto, contra tudo e contra todos mestre António Agrellos soube mostrar que apesar do Douro ser a terra das Tourigas é possível, e apesar das muitas críticas, fazer Syrah de qualidade o que provoca o nosso imenso interesse e admiração!

Aqui vão eles:

Quinta da Romaneira, 100% Syrah, Douro
Classificação: 19/20

 

Labrador, Quinta do Noval, 100% Syrah, Douro
Classificação: 17/20

 

Vejamos cada um em pormenor.

Quinta da Romaneira, 100% Syrah, Douro
As notas de prova na ficha técnica dizem que  possui “notas exuberantes de especiarias como cominhos e canela no nariz. Maduro e cheio, mas também fresco e delicado, revelando deliciosas notas de alcaçuz no palato, com um final aveludado e persistente.” O vinho foi vinificado em cubas tronco-cónicas, equipadas com controlo de temperatura, a uma temperatura de cerca de 25º/28º. Esteve 14 meses em barricas de carvalho francês de 225 litros. Em 2013 o inverno foi extremamente chuvoso, chuva esta que se prolongou pela primavera com temperaturas inferiores à média. Esta situação foi benéfica pois veio repor os níveis de água no solo, que estavam muito baixos depois de dois anos secos. Seguiu-se um verão seco, praticamente sem chuva. Esta evolução das condições climáticas, condicionou fortemente a evolução do ciclo vegetativo, vindo a traduzir-se num anos de baixa produção, na atraso da maturação de cerca de dez dias. As uvas melhoraram significativamente e iniciamos a vindima a dez de Setembro, estando já em perfeito estado de saúde e maturação, que produziram mostos de qualidade extremamente elevada. Este Syrah foi feito a partir de uvas colhidas neste tempo inicial.

Labrador, Quinta do Noval, 100% Syrah, Douro
Hoje já não se trata de uma experiência mas sim de uma certeza com ganhos significativos. É um Syrah de “aroma muito marcado pela fruta preta, com traços minerais e aromas balsâmicos com alcaçuz. Intenso e poderoso, com notas pungentes a alcatrão, pimenta, casca de laranja. Na boca está fino e texturado, com acidez viva a dar-lhe leveza, taninos elegantes, boa textura e muita intensidade. Longo, equilibrado, com muita precisão e austeridade.”
A Quinta do Noval, com 145 hectares, que dominam o Vale do Pinhão, é a alma e a essência desta propriedade. O solo é essencialmente constituído por rocha xistosa, o que faz com que todos os trabalhos na vinha sejam particularmente difíceis. A Quinta do Noval replantou desde 1994 100 hectares da vinha com as castas mais nobres da região do Douro, adaptando os métodos de poda à tipologia das parcelas. As parcelas foram replantadas em lotes de uma casta só, sendo cada uma escolhida de acordo com as características de cada parcela de terra: a altitude, a exposição solar e o tipo de plantação da videira.

António Manuel de Sousa Pinto Agrellos, 68 anos, vem de uma família que produz e comercializa Vinho do Porto no Vale do Douro desde há quatro gerações. Frequentou Arquitetura na Escola Superior de Belas Artes do Porto, e em 1976-77 estudou Enologia na Universidade de Bordéus, aprofundando os seus conhecimentos vinícolas também na área da prova e química do vinho. Tornou-se Director Técnico da Quinta do Noval em 1993.

Desde 1994 que é reconhecido no mundo vinícola pela excelência dos seus vinhos na Quinta do Noval. Ganhou por duas vezes o louvor da imprensa portuguesa ao ser considerado Enólogo do Ano em vinhos generosos. Ao longo dos últimos 15 anos, os vinhos do Porto e do Douro da Quinta do Noval têm aparecido regularmente nas listas dos melhores vinhos na sua categoria, tendo três Vinhos do Porto Quinta do Noval Vintage atingido pontuação máxima de 100.

António Agrellos não é conhecido no mundo do vinho por ter feito Syrah mas para o Blogue do Syrah só este facto é suficiente para o integrarmos nesta nossa galeria de enólogos!
Vai uma taça de Syrah da Quinta da Romaneira? Ou Labrador, talvez?


 

Madre de Água, 100% Syrah, Terras do Dão, 2012

Hoje vamos falar novamente  de um dos Syrah do Dão, o Syrah Madre de Água! Na altura quando foi apresentado aqui, dissemos que mostrava “possuir qualidades que muito apreciámos”. É de 2012, de Gouveia!

É um Syrah que não tendo tido um desenvolvimento aromático digno de registo, merece voltarmos a falar dele após um ano e três meses porque os seus responsáveis fizeram, e bem, uma renovação em toda a gama que passou por um reposicionamento da marca Madre de Água no mercado em termos de preço no consumidor. Isto significa que o Syrah Madre de Água que custava 17 euros, hoje custa 7,5 euros! E isso faz toda a diferença até porque sempre pensámos que o preço era algo elevado. Hoje podemos afirmar que se trata de um bom Syrah na relação qualidade/preço. A empresa Madre de Água, Lda., situa-se na freguesia de São Pedro, concelho de Gouveia, distrito da Guarda. A empresa gira à volta de um Hotel, o Madre de Água Hotel Rural, que está localizado apenas a 5 minutos de carro da cidade de Gouveia, na encosta da Serra da Estrela, numa quinta que produz além de Syrah, queijo e azeite. É neste espaço algo idílico que se produz o Quinta de Madre de Água Syrah.

Este Syrah tem uma graduação alcoólica de 13,3%. A enóloga é Francisca Pereira. No rótulo da garrafa pode ler-se o seguinte: “A cor púrpura envolta em reflexos violáceos envolve-se graciosamente com os taninos concedendo um corpo médio com acidez leve. Invade os sentidos através do seu aroma de ameixa com toque mentolado compondo um belo bouquet ao nariz. Tipicamente frutado onde a especiaria ocupa lugar de destaque, proporciona um memorável prazer a quem o consome. Vinho de altitude, Terras do Dão.”

Quanto ao Hotel e natureza envolvente, é o refúgio certo para partir à descoberta de uma região emblemática de Portugal. Situado a cinco minutos de Gouveia, junto à aldeia de Vinhó e a pouco mais de 20 quilómetros da Torre, lá no alto da Serra da Estrela, o Hotel possui 10 quartos que oferecem conforto e atmosfera para viver o que há de mais autêntico e tradicional nesta região do país. É o caso dos vinhos da Região Demarcada do Dão, que pode conhecer logo a partir da vinhas, como já foi referido. Extremamente cuidadas, compõem a paisagem que envolve todo o Hotel e é através delas que se produzem vinhos assentes em castas tão tradicionais quanto a Touriga Nacional, Tinta Roriz, Alfrocheiro, Jaen, Vinha Velha, Encruzado ou Gouveio e naturalmente agora com o Syrah.

O escritor francês Claude Tillier dizia que:
“Comer é uma necessidade do estômago; beber é uma necessidade da alma.”
Beber este Syrah a partir de agora será uma muito apreciável necessidade para quem quiser voltar ciclicamente aos Syrah do Dão!

 

Classificação: 17/20                                                     Preço: 7,50€