Category Archives: Lisboa

Que bem que o nosso Syrah se dá por aqui…

Syrah, Casa Santos Lima, 100% Syrah, Lisboa, 2013

sl_garrafa_2013

A Casa Santos Lima tem presentemente dois Syrah: este que aqui apresentamos, na nova colheita de 2013, e que é o mais antigo, e o Monte da Caçada Syrah mais recente e de qualidade bem superior.

As notas de prova dizem-nos que em termos de cor temos um rubi definido. Este é “um vinho seco e delicado com aromas agradáveis de frutos vermelhos. No palato é fresco e frutado, novamente com notas de frutos vermelhos, framboesas, cerejas e ervas. Bom corpo e estrutura, com uma longa persistência a fruta no final de boca.” Tem uma graduação alcoólica de 14%.

sl_vinha

As vinhas  distribuem-se por várias Quintas contíguas, com destaque para a Quinta da Boavista, Quinta das Setencostas, Quinta de Bons-Ventos, Quinta da Espiga, Quinta das Amoras, Quinta do Vale Perdido, Quinta do Figo e Quinta do Espírito Santo, que cobrem uma área total de aproximadamente 290 hectares.

sl_loja

As propriedades da Casa Santos Lima estão situadas no concelho de Alenquer, 45 km a norte de Lisboa, numa região onde a tradição vitivinícola é secular e as típicas paisagens rurais aparecem com enorme beleza. As vinhas estendem-se por encostas suaves em altitudes compreendidas entre 100 e 220 m, com excelente exposição solar e um clima temperado pela suave brisa marítima do oceano Atlântico, que se encontra a cerca de 26 km para oeste.

Termina-se, citando o grande escritor Oscar Wilde que afirmou com toda a propriedade:
“Para conhecer a colheita e a qualidade de um Syrah não é necessário beber toda a pipa.”
Bastou pois uma taça de Santos Lima Syrah para dizermos de nossa justiça. Mas logo a seguir foi toda a garrafa!

 

Classificação: 15/20                                           Preço: 4,99€

sl_ft


 

Quinta do Gradil, Sociedade Vitivinícola, SA, 100% Syrah, Lisboa, 2015

gradil_2_garrafa

Aqui no Blogue do Syrah temos seguido com particular atenção este Syrah da Quinta do Gradil, que começou por ser uma “brincadeira” com o Syrah de 2012, do qual foram feitas unicamente 1000 garrafas (ver aqui o que queremos dizer com isto), continuou com o Syrah de 2013 que noticiamos aqui, e desde então passou a ser um caso sério feito já profissionalmente e com uma produção de 4200 garrafas e que foi considerado pelo Blogue do Syrah como o melhor Syrah do ano de 2015 na relação qualidade-preço. Na altura em Janeiro do presente ano dissemos o seguinte: “…decidimos atribuir uma medalha segundo o critério de relação qualidade-preço, ou seja, excelente classificação a preço convidativo, é ter muito por pouco. Eis pois este Quinta do Gradil, da região de Lisboa, expressivo, elegante e harmonioso, presente sempre que quisermos um Syrah de qualidade acima da média para uso diário!”

gradil_vinhas

E agora no presente ano temos a terceira colheita deste espectacular Syrah sempre em crescendo, tanto em qualidade como a nível de produção, nada mais nada menos do que…espantem-se, 37 000 garrafas!!
Podemos dizer desde já que nunca em Portugal numa única colheita se fez 37 000 garrafas dum monocasta Syrah! E isto deve ser realçado!

E quanto à qualidade o que é possível dizer desde já? Das três colheitas esta é inequivocamente a melhor! Mas como é um Syrah muito novo vai ter uma capacidade de evolução tremenda! Não é de ânimo leve que dizemos isto! Daqui a um ano voltaremos a falar deste Syrah da Quinta do Gradil 2015 e será muito provavelmente para alterar a classificação para cima.
Vamos ver se a razão está do nosso lado!

gradil_vinhas_2

Os enólogos falam-nos de “Um syrah muito expressivo, de cor retinta e aromas intensos de bagas do bosque, pontuados com notas químicas e um toque de mineralidade. Elegante na boca, revela harmonia entre a fruta e os taninos evidentes mas bem integrados, num conjunto enriquecido por 14 meses de estágio em barricas de carvalho francês. O seu final é prolongado e distinto.” Nada a dizer! E os citados são mais uma vez António Ventura e Vera Moreira. A graduação alcoólica é de 14% como aliás o anterior de 2013.

Dizia o escritor francês renascentista François Rabelais:
“Quando bebo, penso e quando penso, bebo!”
Ora aqui uma boa ideia para aplicar enquanto se degusta o Syrah da Quinta do Gradil, deste ano que vai ser mítico: 2015!

 

Classificação: 17/20                                                     Preço: 8,50€

gradil_ft_2015


 

Feitores, Vinhos Feitores, 100% Syrah, Lisboa, 2015

feitores_garrafa
Ter o Syrah Feitores chegado ao nosso conhecimento é da inteira responsabilidade do nosso amigo Jorge Cipriano do Clube dos Vinhos Portugueses. Foi ele que nos alertou para a existência deste Syrah da região de Lisboa, mais precisamente do Bombarral, região que conhecíamos bem, mas pelos vistos não tão bem quanto seria devido!

A marca de vinhos Feitores foi lançada em 2012 pelos empresários João Pedro Duarte e Carlos Duarte em embalagem “bag in box”, situando-se a sua adega na aldeia de Famões.

Feitores vinha

A quinta é constituída por oito hectares, mais um hectare que foi plantado este ano. Dos oito hectares, quatro são Syrah e o novo que foi plantado este ano também é Syrah. Temos portanto uma quinta que tem maioria de produção Syrah o que para nós é sempre de regozijo. As outras castas presentes são, nas tintas o Castelão e Touriga Nacional. Nas castas brancas temos arinto, fernão pires, moscatel e algum chardonnay do qual sai um lote monovarietal.

Trata-se de uma empresa familiar gerida pelos dois já citados irmãos, que foram muito simpáticos no contacto que estabelecemos. A empresa é recente mas a vontade de vencer é grande. Tivemos conhecimento do Syrah de 2013 embora o que estamos a analisar é o Syrah de 2015, por sinal de qualidade superior! Em 2014 não houve monovarietal. Segundo os seus produtores trata-se de um vinho “de cor granada, com aroma a frutos silvestres e especiarias, notas de baunilha e madeira que lhe confere um sabor aveludado e persistente”. Tem uma graduação alcoólica de 13,5%.

Segundo João Filipe Clemente “você não pediu para nascer e, salvo raríssimas excepções, morrerá contra a sua vontade. Então, trate de aproveitar o intervalo entre esses dois momentos da melhor maneira possível; beba bons vinhos e coma bons pratos compartilhando-os com bons amigos”.
O caminho que o Syrah Feitores tem pela frente é enorme e como tal é aproveitar esse desígnio da melhor maneira porque com experiência e vontade o caminho a partir de agora é sempre a subir!

 

Classificação: 16/20                                                     Preço: 3,80€


 

Monte da Caçada, Casa Santos Lima, 100% Syrah, Lisboa, 2014

monte_cac_garrafa

A Casa Santos Lima é o maior produtor de “Vinho Regional Lisboa” e “DOC Alenquer”, o que faz que seja o maior produtor de vinhos da região de Lisboa. Como tal a Casa Santos Lima teria que ter o seu Syrah, e ainda bem. Mas a partir de agora passa a ter dois Syrah. O Syrah da Casa Santos Lima, de que podemos encontrar no mercado a colheita 2012, e agora este Monte da Caçada 2014, que saiu há relativamente pouco tempo para nossa satisfação!

Isso acontece porque apesar do preço ser relativamente superior ao do seu “irmão”, a qualidade supera, e muito, a diferença de preço. As notas de prova falam de um vinho “de cor rubi, bem definida, com intensos aromas a fruta madura como ameixas e frutos do bosque bem casados com suaves notas de carvalho. Combina na perfeição com comida e tem uma excelente capacidade de envelhecimento.” As uvas, previamente desengaçadas, passaram por uma maceração pré-fermentativa a baixas temperaturas durante 24 horas. A fermentação alcoólica foi feita em cubas de aço-inox com controlo de temperatura, não ultrapassando 27.ºC, durante 12 dias. Estágio de nove meses em barricas de carvalho francês e americano. Tem uma graduação alcoólica de 14,5%.

As propriedades da empresa pertencem à família Santos Lima há mais de um século sendo, desde há várias gerações, grandes produtores de vinho. No entanto, só em 1996, quando José Luís Santos Lima Oliveira da Silva abandona a sua carreira de mais de 20 anos no sector financeiro, teve início o engarrafamento e comercialização dos seus vinhos.
A Casa Santos Lima é uma empresa familiar, fundada por Joaquim Santos Lima, que, no final do século XIX, era já um grande produtor e exportador de vinhos. Maria João Santos Lima e José Luís Santos Lima Oliveira da Silva, neta e bisneto do fundador, gerem a empresa desde 1990, tendo procedido à replantação de grande parte das vinhas e modernizado toda a infra-estrutura produtiva.

monte_cac_vinhas

As vinhas  distribuem-se por várias Quintas contíguas, com destaque para a Quinta da Boavista, Quinta das Setencostas, Quinta de Bons-Ventos, Quinta da Espiga, Quinta das Amoras, Quinta do Vale Perdido, Quinta do Figo e Quinta do Espírito Santo, que cobrem uma área total de aproximadamente 390 hectares.

As propriedades da Casa Santos Lima estão situadas no concelho de Alenquer, 45 km a norte de Lisboa, numa região onde a tradição vitivinícola é secular e as típicas paisagens rurais aparecem com enorme beleza. As vinhas estendem-se por encostas suaves em altitudes compreendidas entre 100 e 220 m, com excelente exposição solar e um clima temperado pela suave brisa marítima do oceano Atlântico, que se encontra a cerca de 26 km para oeste.
O tipo de solo predominante é o argilo-calcário, do período do Jurássico Superior, tendo sido encontrados numerosos exemplos de fósseis de vida marinha. A replantação da vinha tem sido feita a um ritmo regular desde 1990, com as mais nobres castas Portuguesas, que aqui apresentam um carácter regional único e também, em menor escala, com as melhores castas internacionais. É possível encontrar na Casa Santos Lima cerca de 50 variedades de castas diferentes (algumas com carácter experimental).

“O vinho e a música sempre foram para mim um magnífico saca-rolhas.”
Dizia o escritor russo Anton Tchekhov!
Fica o nosso convite para, declamando este adágio, experimentarem o Syrah Monte da Caçada de que aqui vos falamos.

 

Classificação: 17/20                                           Preço: 7,60€

monte_cac_ft


 

Lybra Rosé, Quinta do Monte D’Oiro, 100% Syrah, Lisboa, 2015

lybra_rose_garrafa

O Verão finalmente veio e o calor aperta.
Para quem gosta de um Rosé fresco, qual a melhor opção? Segundo o Blogue do Syrah não há muito por onde escolher e a nossa escolha pende para o lado do Lybra Rosé, da Quinta do Monte d’Oiro, feito exclusivamente de Syrah, cuja colheita, de 2015, está aí no mercado para nos saciar e encantar com aquela cor de vinho suave. E temos mais um Syrah do ano fantástico de 2015!

Este Lybra especial nasceu de uma parcela especifica, tratada e conduzida para o produzir em forma Rosé, através de vindima manual e escolha cuidadosa, seguida de esmagamento com prensagem directa. Tem 12,5% de graduação alcoólica.
Interessa perceber primeiro, embora de forma breve, como se obtém um Rosé. Inicialmente o processo é igual ao Tinto, desengaçar e esmagar, embora venha um choque térmico a temperatura mais reduzida, facilitando o processo de clarificação, havendo sempre o cuidado de que a pressão utilizada não conduza à extracção  de demasiada cor das películas. Em seguida interessa clarificar o mosto, removendo a maior parte dos sólidos em suspensão, sendo a técnica mais utilizada a decantação estática a baixa temperatura durante um a dois dias.  A fermentação é por fim um compromisso entre escolher temperaturas mais baixas, havendo lugar a maior frescura no produto final, ou mais altas, perdendo-se os aromas frutados.

oiro_rose_vinha

O tratamento da vinha, neste Monte D’Oiro, é feito sempre sem recorrer a químicos, optando pela qualidade em vez de quantidade. As podas são severas, no tempo devido, e as mondas igualmente significativas, dando lugar a rendimentos baixos por hectare.
O preço é mais apelativo este ano, nos vários sítios por nós visitados.

Como dizia William Shakespeare:
“O bom vinho é um camarada bondoso e de confiança, quando tomado com sabedoria.”
Para beber todo o Verão!
Força!

 

Classificação: 18/20                                                      Preço: 8,25€

lybra_rose_ft


 

Quinta dos Plátanos, 100% Syrah, Lisboa, 2013

platanos

Esta é infelizmente uma história diferente de todas aquelas que já aqui relatamos. É a história de um Syrah que depois de o ser já não o é! Vamos lá explicar a charada!

O ano passado tivemos conhecimento de que a Quinta dos Plátanos, de Alenquer, iria, pela primeira vez, lançar no mercado um monocasta Syrah. Ficamos naturalmente agradados! A seguir soubemos que esse dito Syrah iria participar da Prova Cega de Syrah que aconteceu no passado 3 de Outubro e que aqui amplamente divulgámos. E em vinte e seis Syrah em disputa, obteve o oitavo lugar, o que prova bem das suas potencialidades! Na altura faltava tratar dos rótulos. O que aqui apresentamos é apenas o rótulo provisório.

Ora acontece que passado todo este tempo o nosso muito desejado Syrah ainda não está no mercado e palpita-nos que nunca estará! Não nos parece que possa ser ainda a questão dos rótulos que está a atrasar a sua saída.

Uma semana antes da prova cega, o Blogue do Syrah, juntamente com alguns elementos dos Cegos por Provas e Tiago Paulo da Garrafeira Estado d´Alma tinham degustado este Syrah num final de tarde bem apelativo que nos deixou bem impressionados. Na prova cega também degustamos pela segunda vez este Syrah e contribuímos para o positivo resultado alcançado.

Mesmo estando a falar do que não existe, o lugar onde tão efémero Syrah nasceu merece o seu destaque.

platanos_quinta
A Quinta dos Plátanos insere-se na Região Vitivinícola de Lisboa, com Denominação de Origem de Alenquer.
Cabeça de um vinculo instituído no século  XVII mantém-se desde então na família que sempre se dedicou à vitivinicultura. Uma das Quintas mais antigas do concelho de Alenquer, pertence, à freguesia de Aldeia Galega da Merceana. Pergaminhos não faltam e são de exaltar.

platanos_logo

Mesmo assim, apesar de toda esta longa e rica história, a vocação desta quinta tem sido a de fazer vinho a granel, aliás como era apanágio destas quintas de Alenquer e arredores de Lisboa. Muita da produção vinícola da quinta é embalada e despachada em caixas, com torneirinha, de cinco litros. Será que foi isso que aconteceu, ou seja, que o nosso tão desejado Syrah, que só daria para umas duas mil garrafas, foi aproveitado para vinhos de corte, embalado em boxes de cinco litros?

Há alguém que possa confirmar esta história ou pelo contrário dizer que estamos enganados e que dentro de dias o Syrah da Quinta dos Plátanos vai estar aí para mostrar o que vale? Ficamos à espera…

 

Classificação: 16/20                                                     Preço: 8 a 10,00€?