Category Archives: Diversos

Essência do Vinho, 23-26 Fevereiro, Palácio da Bolsa/Porto

Aqui fica hoje a notícia, em cima da hora, de mais uma festa de Syrah, desta vez em terras setentrionais, o nosso bem amado Porto, em 14ª edição, nesse espaço maravilhoso que é o Palácio da Bolsa.

A grande novidade desta 14ª edição é o “Portugal Wine Connection”. Trata-se de uma sessão exclusiva, que pela primeira vez reunirá importadores e jornalistas estrangeiros credenciados a produtores e enólogos representados no evento. A prova in loco de vinhos e o contacto directo entre agentes económicos, líderes de opinião e importadores, que actuam em 14 mercados externos, tem o duplo objectivo de aumentar a notoriedade dos vinhos portugueses representados no ESSÊNCIA DO VINHO e proporcionar novas oportunidades de negócio.

“Entendemos testar este modelo como forma de dar um retorno suplementar aos produtores de vinho presentes no evento. Além disso será uma oportunidade para que os jornalistas e importadores estrangeiros associem rostos aos vinhos, o que certamente facilitará o esclarecimento de dúvidas e aumentará o impacto do possível ‘feedback’ acerca desses vinhos nos mercados de origem dos jornalistas e importadores. O ´Essência do Vinho – Porto’ já se assumiu como um evento europeu de referência no sector e cada vez mais quer também contribuir para o reforço da notoriedade de Portugal e dos vinhos portugueses”, explica Nuno Pires, director da Essência do Vinho.

Nesse mesmo dia inaugural, mas durante a manhã, será promovida a prova “TOP 10 Vinhos Portugueses”, com a presença de 40 jornalistas, críticos de vinhos e sommeliers de 12 nacionalidades. Cerca de 60 vinhos pré-seleccionados pela revista WINE – A Essência do Vinho, que obtiveram as pontuações mais elevadas pelo painel de provas da publicação durante o último ano, serão sujeitos a uma derradeira avaliação por este júri internacional.

O programa do ESSÊNCIA DO VINHO – PORTO tem dezenas e dezenas de bons pretextos de visita. Em prova livre, mais de 3.000 vinhos de 350 produtores, nacionais e estrangeiros. Em paralelo, um conjunto de 19 provas comentadas por especialistas, três harmonizações enogastronómicas e quatro conversas didácticas sobre vinho.

Vinhos alentejanos de talha e monovarietais do Douro são outros dos destaques da programação da principal experiência do vinho em Portugal. Mas há mais, como combinações entre vinhos e chocolates, uma prova de queijos e vinhos de Minas Gerais, Estado brasileiro com forte influência gastronómica portuguesa, e outra de espumantes e vinhos brasileiros Era dos Ventos, do Rio Grande do Sul, com a presença do produtor.

O programa detalhado, a compra de bilhetes e a aquisição de lugares nas provas comentadas estão disponíveis online, em www.essenciadovinhoporto.com. Até às 15h de dia 22 de Fevereiro a entrada válida para 1 dia de evento tem o valor de 20€ (será de 25€ quando adquirida nos dias e no local do evento). ESSÊNCIA DO VINHO – PORTO realiza-se dia 23 de Fevereiro, das 15h às 20h, dias 24 e 25, das 15h às 21h, e dia 26 de Fevereiro, das 15h às 20h.

O evento é uma organização da EV-Essência do Vinho, em parceria com a Associação Comercial do Porto, com o apoio da Câmara Municipal do Porto.


 

Coisas de Vinho, dia 23 de Fevereiro, Évora

Coisas de Vinho volta esta 5ª feira, dia 23, às 18:15, desta vez na emblemática associação Bota Rasa na Praça do Giraldo, com apresentação e prova de mais um excelente vinho de um produtor desta nossa terra. Igualmente se vai ouvir o historiador Francisco Bilou, com quem ficaremos à conversa.

Estão todos convidados!


 

Os Melhores de 2016 segundo o Blogue do Syrah!

Esta é a segunda vez que o Blogue do Syrah se lança na épica aventura de escolher os melhores Syrah lançados em Portugal no ano de 2016.

Atribuímos, assim, medalhas de Ouro, Prata e Bronze, e ainda uma medalha especial ao que considerámos ser o melhor Syrah quanto à relação qualidade preço.

Este painel de premiados nasceu da nossa escolha subjectiva, como teria de ser, e teve lugar num ano ainda mais rico de novidades que o ano transacto, o que tornou a escolha ainda mais aliciante. O universo Syrahniano vai  aumentando regular e exponencialmente, para nosso, e vosso, regozijo, sempre com enorme qualidade, tornando esta nossa viagem um deleite quase permanente. Este ano, e ao contrário do anterior ,em que tivemos representado no pódio o país de norte a sul, Douro, Alentejo e Algarve, com passagem por Lisboa, só temos quase Alentejo, esse Alentejo quimérico onde o Syrah se dá tão bem! A excepção surge com a Península de Setúbal, como se verá.

Vamos então aos nossos ‘Óscares‘.


Medalha de Ouro:  DONA DORINDA
Provámos este Dona Dorinda 2011 em Outubro de 2015 no Encontro de Vinhos Alentejanos no CCB e logo ali declarámos: “Vale 20!
Só que na altura não havia decisão sobre a garrafa final e os rótulos não estavam ainda feitos.
Após este ano e meio de longa espera, já com tudo no devido lugar, com design renovado e do nosso ponto de vista muito bem conseguido, o Blogue do Syrah pode finalmente apresentar ao mundo o Dona Dorinda 2011!
Só se fizeram 1238 garrafas, numeradas à mão, cabendo à nossa o número 573. A graduação alcoólica tem uns impressionantes 16,5%, mas tão bem integrados nos outros elementos vínicos que só se acredita neste valor lendo o contra rótulo da garrafa.

Medalha de Prata : INCÓGNITO
Na prova cega do passado mês de Outubro, que colocou frente a frente Syrah portugueses contra congéneres estrangeiros, desde franceses, australianos, sul africanos, austríacos, argentinos e chilenos, poucos poderiam inicialmente vaticinar o resultado final! Nós aqui, no Blogue do Syrah sempre tivemos confiança no bom desempenho dos Syrah portugueses. Mas o que aconteceu foi uma coisa quase do outro mundo: o Syrah vencedor da prova onde estiveram presentes vinte Syrah no total, avaliados por trinta e três jurados, foi o último a ser servido, justamente este Incógnito 2012. Não tem o mesmo significado ganhar a prova tendo sido apresentado nos primeiros dez lugares, ou tendo sido apresentado precisamente em último! O Incógnito 2012 arrebatou duma penada toda a concorrência dentro e fora de portas, e isso é obra! Estávamos longe de imaginar que tal coisa poderia sequer acontecer… mas aconteceu! E desse modo este Syrah de Cortes de Cima, grande representante do Baixo Alentejo, continua a sua caminhada em direcção ao espaço sideral mitológico!

Medalha de Bronze ex-aequo: CEM RÉIS / ALDEIAS DE JUROMENHA
Sobre o Cem Reis, há um ano e três meses, quando falamos do Cem Reis de 2012, dissemos o seguinte:
”O CEM REIS Syrah congrega em si dois aspectos que, como consumidores apaixonados pela casta, muito prezamos. Em primeiro lugar porque se trata de um Syrah de qualidade superior. Em segundo, e ao contrário do que é habitual, a maior parte da produção fica e é consumida em Portugal.”
E o dito continua a ser verdade na safra seguinte, 2014, a agora premiada!
Mais: tem um maior significado porque neste espaço de tempo houve vários Syrah que foram descontinuados, logo a permanência deste Syrah é preciosa devido à sua longevidade – a primeira colheita é de 2005 – e por outro lado trata-se de um Syrah topo de gama! Não se assustem com o preço! Este vinho vale todos os euros que custa!
95% da toda a produção é efectivamente para o mercado interno e somente os restantes 5% é que vão para o mercado externo.

Quanto ao Aldeias de Juromenha, será muito provavelmente o Syrah sobre o qual mais temos escrito. Então pergunta-se: Porquê tão cedo voltar a dar destaque a este Syrah, o único dessa terra cativante que é Elvas?
Simplesmente porque é o melhor de todos eles! E acreditem, os outros eram muito bons!
Como já se sabe é um Syrah feito por mestre António Saramago! Aliás é o único Syrah que Saramago faz presentemente!
O Syrah da Herdade das Aldeias de Juromenha é, já o dissemos, “for our plesuare” todo comercializado em Portugal. O facto de ser reserva significa neste caso que tem dez meses de estágio em barricas de carvalho francês e americano, e tem uma graduação alcoólica de 15,5%. Mais uma novidade! É o mais graduado de todos eles. O anterior de 2012 tinha 14,5%.

Melhor relação Qualidade-Preço: VINHA DE PEGÕES
Com a classificação de 18 valores e o preço de 2 euros e 49 cêntimos, a escolha aqui foi imediata. Falámos com entusiasmo dele, dando conta de ter sido o primeiro Syrah de 2015 a ser lançado!
Já desde Agosto do ano passado que estamos a repetir para quem nos quiser ouvir que o ano de 2015 para o Syrah vai ser o melhor do século, muito superior ao de 2011!
Por isso quando tivemos conhecimento deste primeiro Syrah de 2015 quisemos tentar perceber se algo de substancialmente superior seria possível adivinhar. Esta linguagem rebuscada limita-se a querer dizer que foi também com espanto que tivemos conhecimento que já poderia estar no mercado e ao fim de tão pouco tempo um Syrah de 2015.
O enólogo deste Syrah, é Jaime Quendera, responsável por estas notas de prova: ”Notas de frutos vermelhos/pretos muito maduros , notas de compota , volumoso na boca , final muito prolongado.” A cor é granada, a fermentação foi realizada em cubas de lagar inox com temperatura controlada seguida de maceração pelicular prolongada. Não teve madeira e a graduação alcoólica é de 14%.
O final prolongado tem um forte gosto a cravinho o que torna este Syrah muito especial.
O preço, para quem teve conhecimento, foi arrasador para toda a concorrência tendo em conta a qualidade desmedida deste Syrah!


Julguem de vossa justiça, provem, degustem, apreciem, opinem, e venham aqui dizer se estão de acordo ou não com esta escolha, e parabéns aos vencedores!


 

Comenda Grande, Monte da Comenda Grande, 100% Syrah, Alentejo, 2013

Quem espera sempre alcança”!
Desde 2015 que pacientemente esperávamos pela saída deste Syrah, Comenda Grande de seu nome, cuja anterior colheita de 2009 tanto nos entusiasmou!
Com o ano de 2013 o Syrah Comenda Grande volta a ver a luz do dia, para nosso imenso deleite.

O nome “Comenda” significa um antigo benefício honorífico concedido a eclesiásticos ou a cavaleiros de ordens militares. Este Syrah irá ser uma grande comenda para quem tiver a oportunidade de o degustar.

Do concelho de Évora, pois claro! Tem uma graduação alcoólica de 15,5%, ao contrário do anterior que tinha 15%. O enólogo foi Francisco Pimenta. Teve um estágio de 12 meses em barricas novas de 225 litros de carvalho Allier e de 8 meses em garrafa. As notas de prova oficiais dizem que tem uma “cor granada densa e viva, aroma intenso e complexo onde sobressai a fruta madura e passas de ameixa, mas também um ligeiro floral e a sensação das madeiras de estágio. Ao sabor, revela-se macio, com grande estrutura, onde se destacam os taninos marcantes, sendo contudo fresco num final de boca prolongado e persistente.” Para preservar ao máximo todas as suas características este vinho não foi filtrado nem sujeito a estabilização tartárica pelo que, com o tempo, poderá vir a apresentar ligeiro depósito.

O Monte da Comenda Grande é constituído por 43 hectares de vinha entre brancos, tintos, rosés e espumantes. A exploração agrícola da Comenda Grande foi iniciada por Maria José de Almeida Margiochi, neta de José Maria Eugénio de Almeida (hoje Fundação Eugénio de Almeida) e filha de Gertrudes de Almeida Margiochi e de Francisco Simões Margiochi.

Herdada por Maria Madalena de Noronha e seu marido João de Noronha, esta exploração agrícola de referência da casa Margiochi é hoje continuada por sua filha Maria de Lourdes de Noronha Lopes, pelo seu marido António Lopes e pelos filhos. Compreendendo uma área de 750 hectares, a exploração tem vindo a acompanhar a reconversão da agricultura alentejana, tendo realizado diversos investimentos de vulto nesse sentido. Assim, a par da reconversão de parte do sequeiro em regadio, não só reforçou as áreas de floresta, privilegiando o sobreiro (Quercus Suber), como plantou um moderno olival em cerca de 30 hectares para além de 43 hectares de vinha já referidos.

O jornalista Philippe Bouvard escreveu que “Percebi que tinha concordado em não ser imortal quando comecei a beber os meus velhos Bordeaux.” Como não temos ilusões em relação à imortalidade dizemos:
Bebam sem esperar muito o Syrah da Comenda Grande até porque poderá acabar num instante“!

 

Classificação: 18/20                                                     Preço: 20,90€


 

Coisas de Vinho, Janeiro 26

Mais uma vez estamos a divulgar a tertúlia Coisas de Vinho, em Évora, e como sempre na última quinta-feira do mês, pelas 18:15. Todos os pormenores abaixo.


 

HT, 100% Syrah, Tiago Cabaço Wines, Alentejo, 2015

Estamos perante a terceira colheita do HT de Tiago Cabaço Wines, do ano de 2015, de Estremoz.

A primeira safra, de 2013, foi o Syrah com que começámos esta aventura de contar a história (passado, presente e futuro), dos Syrah portugueses. Por isso temos um especial carinho por este Syrah!

Mas vamos debruçar-nos sobre o HT!
Em primeiro lugar, o nome: diz-nos o próprio produtor que se trata duma homenagem à Herdade do Trocaleite, onde passou a infância, e onde estão plantadas 6 parcelas de Syrah cujo cultivo o resultado está à vista. Um Syrah novíssimo de 2013 com 14% de graduação alcoólica de “cor rubi compacta, com taninos finos mas poderosos e com um final de boca longo e elegante.” Não poderíamos estar mais de acordo. Acrescentemos, unicamente, que tem possibilidade de evoluir com o tempo devido, em garrafa.

Em todo o texto argumentativo, é nossa opinião que no final deve ser deixado um argumento forte. E este é mesmo muito forte. Trata-se do preço, que se situa abaixo dos quatro euros, quando comprado em supermercado! É obra, tendo em conta os seus congéneres de mercado e devido à qualidade demonstrada. Quem disse que não é possível comprar um Syrah de baixo custo e simultaneamente poderoso?

Petrónio, que foi um escritor romano, mestre na prosa da literatura latina, escreveu que “O bom vinho deve ser apreciado aos goles.”
É o caso deste HT, 100% Syrah, do Tiago Cabaço de 2015.
Trata-se de um bom Syrah!

 

Classificação: 16/20                            Preço: 3,74€