Acabou o pingo nas garrafas de Syrah!

O mundo das invenções tem destas coisas, novas ideias para velhos problemas!

Então é assim: um cientista da Universidade de Brandeis, nos EUA, engendrou um novo design para o gargalo da garrafa de Syrah para evitar aquele pingo irritante que escorre garrafa abaixo quando se acaba de servir a bebida. Daniel Perlman, amante de Syrah, inventor e biofísico, queria uma solução que não envolvesse um sistema adicional e passou três anos estudando como o liquido flui através da borda de uma garrafa.

Claro, podemos fazer o que fazem os sommeliers em restaurantes, envolver um guardanapo em torno do pescoço da garrafa para reter o líquido, mas quem tem tempo para isso?

A solução encontrada foi cortar um sulco logo abaixo do lábio, criando assim uma garrafa de vinho sem gotejamento.

Perlman é um inventor de renome com mais de 100 patentes registadas, desde equipamentos de laboratório até produtos alimentares. Mais recentemente, inventou farinha de café, um ingrediente alimentar e suplemento nutricional derivado de grãos de café.

Há dispositivos para colocar no pescoço da garrafa, mas Perlman não queria que os consumidores tivessem que dar um passo adicional depois de fazerem a compra. “Eu queria mudar a garrafa de vinho em si”, diz ele. “Eu não queria que houvesse o custo adicional ou inconveniente de comprar um acessório.” Perlman estudou vídeos em câmara lenta de líquido sendo derramado. Ele observou primeiro que o escorrimento era mais extremo quando uma garrafa estava cheia ou perto dela. Ele também viu que o fluxo tende a ondular para trás sobre o lábio e correr para o lado da garrafa de vidro, porque o vidro é hidrofílico, o que significa que atrai água. Usando uma ferramenta cravada de diamantes, Perlman, auxiliado pelo engenheiro Greg Widberg, criou um sulco circular ao redor do pescoço da garrafa logo abaixo do topo. A gota de vinho que da forma actual iria cair garrafa abaixo, encontra o sulco, mas não pode atravessá-lo. Em vez disso, ele cai imediatamente para fora da garrafa juntamente com o resto do vinho. Após muitos testes, Perlman encontrou a largura perfeita, cerca de 2 milímetros, e a profundidade, cerca de 1 milímetro.

O actuais modelos de garrafas de Syrah datam do século XIX e não mudaram muito desde então. Cerca de 200 anos de pingos e nódoas podem estar a chegar ao fim. Perlman está em negociação com os fabricantes de garrafas sobre a adopção generalizado do seu projecto.

 

 

Eis então que com esta inovadora garrafa nem mais uma gota de Syrah será desperdiçada!


 

Syrah às cegas

Hoje o texto não é nosso.

Vanessa Schnitzer, estudante PhD em Enologia na Universidade de Évora, e um dos jurados na nossa última Prova Cega de Syrah, passou a escrito as suas reflexões sobre a sua participação nessa prova, que publicou no diário do SUL de 2 de Maio último, e que achamos muito interessante, por isso, com a devida consideração, aqui as reproduzimos.


 

Planura, Unicer Vinhos S.A., 100% Syrah, Alentejo, 2014


aqui tínhamos falado deste Planura Syrah. O ano foi de 2010. Hoje vamos apresentar a colheita de 2014. Este é um Syrah da responsabilidade da Unicer Vinhos, empresa bem conhecida de vinhos, cervejas, refrigerantes e águas engarrafadas.

Planura é um vinho Regional Alentejano que resulta de um rigoroso controlo de qualidade vitícola e enológico, dando origem a vinhos harmoniosos e equilibrados. O enólogo de serviço é Filipe Sevinate Pinto. A graduação alcoólica é de 14,5%. As notas de prova do enólogo dizem que o “Planura Syrah apresenta uma cor intensa e uma distinção aromática surpreendente, onde predominam os aromas a chocolate, compota e algumas notas fumadas. A sua estrutura de taninos confere uma prova cheia, frutada e elegante.”

A Unicer está presente de Norte a Sul do país, conta com 1350 colaboradores, possui 13 estabelecimentos que incluem centros de produção de cerveja, de sumos e refrigerantes, e de vinhos, assim como centros de captação e engarrafamento de água, além de vendas e operações. A Unicer exporta 150 milhões de litros, tem 90.000 camiões de transporte para 50 países.

O Syrah veio encontrar no clima quente e seco da região alentejana, condições óptimas para o desenvolvimento de vinhos de perfil ímpar, simultaneamente maduros e frescos, muito diferentes nas suas características dos obtidos desta mesma casta noutros locais como na região francesa do Ródano, onde inicialmente teve maior expansão. Apresenta cor intensa, grande distinção aromática, com predominância de aromas a chocolate, compotas e algumas notas fumadas. A sua estrutura de taninos confere uma prova cheia, frutada e elegante. Região de ondulantes planícies, o Alentejo apresenta uma paisagem relativamente suave e plana que se estende por quase um terço de Portugal continental.
Só a Serra de São Mamede, a norte da denominação, se diferencia do padrão. Os solos alternam entre o xisto, argila, mármore, granito e calcário, numa diversidade pouco comum. O clima é claramente mediterrânico, quente e seco, com forte influência continental.

O Alentejo encontra-se dividido em oito sub-regiões, Borba, Évora, Granja-Amareleja, Moura, Portalegre, Redondo, Reguengos e Vidigueira, agrupadas em três grupos distintos. Portalegre é a sub-região mais original, com solos predominantemente graníticos, influenciada pela frescura da Serra de São Mamede. A paisagem oferece inúmeras parcelas de vinhas velhas, plantadas nas encostas íngremes da serra, beneficiando de um microclima único que confere frescura e complexidade. Borba, Évora, Redondo e Reguengos personificam a identidade alentejana, terra de equilíbrio e harmonia, na proporção certa entre frescura e fruta, energia e suavidade. As sub-regiões de Granja-Amareleja, Moura e Vidigueira, no Sul da denominação, oferecem vinhos mais quentes e suaves, com terras pobres e secas, onde a vinha sofre com a dureza do clima e a pobreza dos solos.

Tem-se falado muito, pelos piores motivos, do presidente dos Estados Unidos. Vem a propósito relembrar o que dizia um dos primeiros presidentes dos estados Unidos Thomas Jefferson:
“Não há País embriagado onde o Syrah seja barato!”
Até nisto os americanos falham a propósito de Portugal. O Syrah Planura pela qualidade apresentada é relativamente barato!

 

Classificação: 16/20                                                     Preço: 4,99€


 

Quinta dos Termos, Reserva do Patrão , 100% Syrah, Beira Interior, 2012

A presentamos aqui a terceira colheita do Syrah da Quinta dos Termos da Beira Interior. A segunda de 2009 foi apresentada aqui há precisamente dois anos. É um Syrah de qualidade, mantemos o que dissemos anteriormente. É um Syrah de soberba qualidade, podemos desde logo dizer, estes anos depois. As notas de prova dizem que “é rico de cor, tem aroma intenso e torna-se muito atraente na boca, graças aos seus taninos aveludados”, e tem uma graduação alcoólica de 14%.

Há uma particularidade que nos chama a atenção. É o único Syrah português, que nem no rótulo da frente, nem da parte de trás da garrafa, nos diz que se trata de um monocasta Syrah a 100%. No entanto o rótulo da frente diz-nos sim que se trata da “reserva do patrão”, mostrando bem que o produtor, João Carvalho, igualmente professor universitário na Universidade da Beira Interior e também presidente da Comissão Vitivinícola da Região da Beira Interior, tem bom gosto!

A Quinta dos Termos está de costas viradas para a Serra da Estrela, com exposição sul, em declive meio acentuado e resguardada a norte pela montanha que a delimita. A Quinta dos Termos apresenta um terroir próprio que marca de forma indelével os vinhos ali produzidos. A Quinta é possuidora de um microclima próprio e de terras pobres, que naturalmente disciplinam as variedades mais produtivas. Ali se cultivam as castas tradicionais da Beira Interior, tais como Trincadeira, Jaen, Rufete, Marufo, Tinta Roriz, Tinto Cão, Afrocheiro Preto, Touriga Nacional, Baga, Siria e Fonte Cal e ainda algumas do Novo Mundo tais como Petit Verdot e Sangiovese. Esta quinta é o maior produtor da região com Denominação de Origem da Beira Interior, actualmente a produzir cerca de 700 mil litros por ano.

A propriedade de 56ha tenta ser o mais biológica possível, não usando herbicidas nem pesticidas e prezando sempre a utilização de produtos naturais, que, apesar de serem menos eficazes e darem mais trabalho, compensam no resultado final. Os solos são graníticos e ricos em sílica. O portfólio da Quinta é composto por 22 vinhos, sendo 14 Tintos, 4 Brancos 1 Rosé e 3 Espumante Natural, todos eles com a marca Quinta dos Termos. Em 1993, terminados os arrendamentos, a Quinta volta novamente para a família na pessoa de João Carvalho, filho de Alexandre Carvalho, que resolve dar corpo ao projecto de viticultura actual. João Carvalho a partir de 1993, aliando a sua vida de empresário têxtil e de professor do Departamento de Ciência e Tecnologia Têxteis da Universidade da Beira Interior, decide meter mãos à obra e começa por reestruturar as vinhas. Adquire novas parcelas, ilhas isoladas no interior da Quinta e novos direitos de plantação, possuindo hoje cerca de 42 ha em plena produção e 12 ha em início de produção.

A Quinta dos Termos tem actualmente cerca de 180 ha e dispõe de uma área vitícola em produção com 54 ha de castas seleccionadas, entre elas as tintas Touriga Nacional, Alfrocheiro Preto, Tinta Roriz, Trincadeira Preta, Jaen, Rufete, Marufo, Baga, Sangiovese, Syrah, Petit Verdot, Tinto Cão, Vinhão e as brancas Síria, Fonte Cal e Riesling. A produção do vinho encontra-se certificada pelo regime de Produção Integrada.

A citação de hoje é de um teólogo do séc. XVI, Francisco de Monçón que disse:
“Nem por o pão ser mais necessário, o Syrah deixa de ser mais precioso.”
Ficamos por aqui, até porque temos que acabar de beber o jarro de Syrah da Quinta dos Termos 2012!

 

Classificação: 16/20                                           Preço: 10,00€


 

Concurso Internacional “Syrah du Monde” 2017


A 11ª edição dos melhores Syrah do mundo irá ter lugar no Château d’Ampuis na Côte du Rhône em França entre os dias 17 e 19 de Maio de 2017 em Ampuis.

O Concurso Internacional “Syrah du Monde” é a única confrontação internacional consagrada  a uma única casta.

Entre as seis castas mais plantadas e comercializadas no mundo, a reputação da Syrah está em constante evolução e dá origem a alguns dos grandes vinhos tintos do mundo. A sua forte personalidade marca os vinhos de uma forma indelével. A Syrah dá em todo o mundo, em função do terroir, do clima e da arte do enólogo, nascimento a vinhos ricos e complexos com um forte potencial aromático.

A casta Syrah é actualmente um varietal em expansão, pense-se em Portugal, que dá resultados impressionantes em muitas partes do mundo. Assim este Concurso Internacional “Syrah du Monde” tem como missão reunir a vasta selecção de vinhos da uva Syrah e, assim, oferecer aos provadores especialistas experientes a sagacidade duma paleta aromática de extraordinária complexidade: framboesa, groselha, mirtilo, alcaçuz, catechu, violeta, baunilha, azeitona,  pimenta preta, fumo, tabaco, trufas, couro, vegetação rasteira, âmbar etc …etc…

Os produtores portugueses de Syrah, podem inscrever-se aqui.

Toda esta matéria prima reunida num único espaço reforçada pelo aroma rico da Syrah do mundo inteiro é um trunfo importante na comunicação. Para o produtor, é a oportunidade de descobrir a qualidade de seus produtos. Para o consumidor, esta é a garantia de um registro profissional de alto nível para guiá-lo em sua escolha.

Quando isso não chega o Blogue do Syrah diz: Presente!


 

Coisas de Vinho – O Vinho e a Cultura

Voltamos dia 27 com o Vinho e a Cultura.

A Ervideira é o produtor convidado na pessoa do Engº Duarte Leal da Costa.

A sua presença é importante, sinta-se convidado.