Tag Archives: alentejo

Bombeira do Guadiana, Herdade da Bombeira, 100% Syrah, Alentejo, 2013

bombeira_garrafa_13

Uma nova colheita do Syrah mais ao sul do Alentejo!

Já tínhamos apresentado a colheita de 2011, mas consideramos esta que hoje aqui nos trás de qualidade superior! O concelho de Mértola tem também o seu Syrah e está desta forma muito bem representado!

O projecto tem tido sucesso devido ao interesse constante dos clientes pelos vinhos da Herdade da Bombeira, que se situa no Concelho de Mértola, na margem direita do Rio Guadiana, a 3 quilómetros a sul dessa linda vila alentejana, estendendo-se ao longo de 2 quilómetros da sua margem.

bombeira_regiao

Um grupo de amigos, amantes da natureza, os proprietários da Herdade da Bombeira, entenderam em 1999 plantar 18 hectares de castas tintas, numa zona com solos privilegiados, onde logo se adivinhou um terroir de altíssimo potencial. Em 2000 conclui-se a plantação, em 2003 produziu-se  os primeiros vinhos, em 2005 o primeiro rosé, entre 2009 a 2011 é concluída a plantação de 3,5 hectares de uva branca e em 2012 é produzido o primeiro vinho branco.

A Herdade da Bombeira, com os seus 700 hectares, possui uma várzea ao longo do rio com cerca de 20 hectares onde os solos de características xistosas se misturam com os aluviões do Rio Guadiana proporcionando as condições ideais para a implantação da Vinha. O Clima desta zona não sendo continental também não é de características marítimas. O mar fica a 50 quilómetros a Sul e a 100 quilómetros a Oeste mas a proximidade da Serra do Caldeirão e do Rio Guadiana tornam o clima mais ameno do que na generalidade das terras vinícolas do Alentejo. A influência do rio Guadiana é fundamental, provocando um microclima que influencia a humidade relativa, evita as geadas e faculta água de qualidade ímpar devido à corrente ecológica com origem na barragem do Alqueva.
Após análise do comportamento das castas na zona e a conselho do  enólogo residente Bernardo Cabral, decidiu-se em 2002 substituir, e muito bem na opinião do Blogue do Syrah,(não é por acaso que gostamos das qualidades técnicas deste enólogo!) cerca de 2,5 hectares de casta Aragonês por Syrah, e em 2006 o restante por Alicante Bouchet  cerca de 3,5 hectares.

bombeira_enologo

As notas de prova que escolhemos falam de um Syrah “especiado e bem maduro, algum chocolate, fruto intenso, boca com volume algum calor num final longo e picante. Um tinto com franqueza e generosidade de formas. Taninos sedosos e redondos, termina prolongado e medianamente persistente.”
Tem uma graduação alcoólica de 14,5%.

“No banquete da vida a amizade é o pão, e o amor é o vinho. “ já dizia Paolo Mantegazza.
Aqui estaremos fiéis para acompanhar a sua evolução com todo o rigor!

 

Classificação: 17/20                                                     Preço: 11,00€


 

Cortes de Cima Syrah, Cortes de Cima, 100% Syrah, Alentejo, 2013

Cortes-de-Cima-Syrah-1

Este Syrah é a gama de entrada dos Syrah míticos de Cortes de Cima!
Depois de o provar, e se não conhecer os outros dois Syrah de Cortes de Cima, ou seja, o Homenagem a Hans Christian Andersen e o célebre Incógnito, não irá acreditar que se trata de um Syrah neste lugar da tabela.

Isto porque é um Syrah exuberante! De uma complexidade aromática altiva e sublime. Um Syrah denso!

Quando apresentamos este mesmo Syrah da colheita de 2012 dissemos que “dos três é o menos empolgante mas nem por isso desce do patamar electivo.” Menos empolgante é coisa que este agora não tem! Os nossos parabéns à dupla Hans e Carrie e, naturalmente, ao enólogo que já aqui apresentámos, Hamilton Reis, pela excelência deste produto! O que será deste Syrah daqui a dois ou três anos? Como irá evoluir? Profetizamos uma vida exuberante!

Há aqui sim um aspecto que queremos enfatizar: o preço elevado para a gama que representa. Respondem os representantes da propriedade com a história, com a procura e com as vendas que esgotam os stocks. Outros Syrah de qualidade têm preços bem mais simpáticos porque não se chamam “Cortes de Cima” e não carregam o fardo de terem sido o motor da implementação da casta Syrah no Alentejo e daí a projecção que ganhou no resto do país. Temos de aceitar a argumentação. Este Syrah de 2013 é a 18º vindima e tem uma graduação alcoólica de 14%.

cortes_vinha

As uvas foram rigorosamente seleccionadas, e estavam num óptimo estado de maturação. Foram fermentadas sem engaço, a temperaturas controladas, com um alargado período de maceração das películas para melhorar o aroma a frutos e conseguir um bom equilíbrio e estrutura de taninos. Envelhecido durante 8 meses em barricas de carvalho francês (90%) e americano (10%) até altura do engarrafamento em Julho de 2014. As notas de prova falam de um modo geral de “aromas a frutos de bago escuro, cereja e ameixa, com complexas notas de terra e especiarias. Palato rico e firme, cheio de fruta madura.” Colheita, produção e engarrafamento na propriedade familiar. Engarrafado com filtração sem colagem em Julho de 2014. Produção total: 5.500 garrafas (37cl), 48.900 garrafas (75cl).

O rótulo foi renovado. Está melhor sem perder a traça original. A palavra “Syrah” está mais visível. Ainda bem! É uma equipa de gente feliz a sorrir que está de parabéns.

cortes_equipa

Ao beber este Syrah fomos de nos lembrar do que disse o filósofo Ortega y Gasset, desta forma:
“O vinho engrandece as companhias, exalta os corações, dá brilho aos olhos e ensina os pés a dançar.”
No caminho certo para se tornar um topo de gama. Impressionante!

 

Classificação: 17/20                                                     Preço: 13,79€


 

Monte Cruz, Herdade Monte do Outeiro, 100% Syrah, Alentejo, 2012

cruz_garrafa

Apesar do lançamento deste Syrah da Herdade Monte do Outeiro ser irregular – o último é de 2009 – estávamos com alguma expectativa aguardando a sua saída, devido a dois motivos. Primeiro por este Syrah, assim como o Reserva seu irmão de sangue, ser habitualmente de qualidade superior, e segundo porque os enólogos, a dupla Diogo Campilho e Pedro Pinhão, já mostraram anteriormente uma capacidade invulgar para fazerem Syrah de altíssima qualidade!

Neste nosso soberbo Alentejo encontramos perto da Vila de Portel a Herdade Monte do Outeiro, que produz o Syrah Monte Cruz, do produtor Manuel Bernardino Cruz. Syrah a 100%, como é devido, graduação alcoólica de 14%, sempre um deleite.

Conhecem-se três safras, a presente, que está em análise, a de 2009 e a de 2006. As notas de prova que escolhemos falam de um “aroma no nariz onde sobressaem notas de especiaria e frutos pretos. Em termos de paladar os taninos estão bem equilibrados e conferem uma boa estrutura.”

cruz_portel_2

E pronto, resta-nos falar um pouco de Portel, formosa vila do Distrito de Évora, sede de um município que inclui a agora famosa aldeia de Alqueva, em cujas proximidades se localiza a Barragem com o mesmo nome, e que originou a criação do maior lago artificial da Europa com cerca de 250km2 e quase 1200kms de margens. Estamos pois entre a vasta planície alentejana e a serra de Portel. O castelo, sobranceiro à vila, ergue-se majestoso no cimo de uma colina e foi construído na sequência da doação da vila por D. Afonso III a D. João Peres de Aboim, em 1261, por favores prestados, e pela sua amizade e fidelidade ao Rei. É assim que nas proximidades da Vila de Portel, muitos séculos depois, na Herdade Monte do Outeiro, se produzem vinhos de qualidade reconhecida nacional e internacionalmente.

Disse António Augusto Aguiar, “Amo a videira como a planta mais bela que a Mãe Natureza deu ao mundo”.
E então quando se trata da videira que dá ao mundo a uva Syrah, o nosso amor multiplica-se numa viagem sem fim!

Classificação: 17/20                                                     Preço: 9,95€


 

Alentejo é considerada a melhor região vinícola do mundo para se visitar!

alentejo_visitar

Foi o jornal USA Today, faz uns tempos, que apresentou esta lista com os dez melhores destinos do mundo no que ao Syrah, e vinho, diz respeito.
Aqui ficam os dez primeiros lugares:

  1. Alentejo, Portugal
  2. Okanagan Valley, British Columbia, Canadá
  3. Maipo, Chile
  4. Marlborough, Nova Zelândia
  5. Croácia
  6. Napa Valley, Estados Unidos
  7. Toscana, Itália
  8. Orgeon, Estados Unidos
  9. Hunter Valley, Austrália
  10. Virginia, Estados Unidos

As listas de escolhas mais ou menos pessoais valem o que valem, ou seja, para o próprio terá um valor inestimável, para os outros nem por isso. Com esta lista pode perfeitamente acontecer o mesmo, até porque podemos sempre questionar porque é não que entraram regiões da França, da Alemanha, da Espanha ou até mesmo da África do Sul? Em contrapartida a lista contêm três regiões dos estados Unidos, o que é claramente um exagero e ainda em segundo lugar uma região do Canadá o que não deixa de ser algo insólito! A história do Canadá em termos vitivinícolas não é por aí além…certo?

Mas vamos a toda a história!
Os especialistas Kerry Woolard e Frank Pulice do jornal USA Today divulgaram a sua lista com as 10 melhores regiões vinícolas para se visitar no mundo, e o Alentejo, em Portugal, foi cotada como a melhor.
A lista levou em conta os lugares que oferecem boas atracções, como lojas, hotéis de serviço completo, bons restaurantes e excelentes vinhos para proporcionar uma grande experiência para seus visitantes. Na opinião dos especialistas e organizadores da análise, o Alentejo foi a região mais bem cotada. “A comida no Alentejo é rústica e autêntica. Ela aproveita ao máximo o estilo de vida agrário da região”, disseram.

Para os especialistas, o destaque dado ao Alentejo deve-se ao facto de no litoral não haver opções de hotel, obrigando os turistas a encontrarem alojamentos em casas de visitantes para apreciar as lindas praias, algumas das quais são consideradas umas das mais fantásticas e belas da Europa. Outro facto importante é que a distância entre os aeroportos de Lisboa e Faro é de menos de duas horas. “O Alentejo é como uma viagem de volta no tempo para os amantes do vinho”, disseram entusiasmados.

Nós aqui no Blogue do Syrah também ficámos empolgados com a escolha, pelos mesmos motivos, e outros um pouco mais ao lado, o nosso lado. Para nós, já o dissemos várias vezes, o Alentejo, e sobretudo o Alto Alentejo, fundamentalmente o distrito de Évora, funcionam como uma terra sagrada para o Syrah! Não há Syrah menor aqui, pelo contrário, a percentagem de Syrah topo de gama é extraordinariamente mais elevada do que em qualquer outra região do país. Diríamos mais: do mundo!
Essa é a nossa missão, que levamos a cabo com empenho, dedicação, e com constantes degustações, sempre partilhando a paixão!


 

CEM REIS, Herdade da Maroteira, 100% Syrah, Alentejo, 2014

garrafa_principal_2014

Há um ano e três meses, quando falamos aqui do Cem Reis de 2012, dissemos o seguinte:
”O CEM REIS Syrah congrega em si dois aspectos que, como consumidores apaixonados pela casta, muito prezamos. Em primeiro lugar porque se trata de um Syrah de qualidade superior. Em segundo, e ao contrário do que é habitual, a maior parte da produção fica e é consumida em Portugal.”

E o dito continua a ser verdade!
Mais: tem um maior significado porque neste espaço de tempo houve vários Syrah que foram descontinuados, logo a permanência deste Syrah é preciosa devido à sua longevidade – a primeira colheita é de 2005 – e por outro lado trata-se de um Syrah topo de gama! Não se assustem com o preço! Este vinho vale todos os euros que custa!
95% da toda a produção é efectivamente para o mercado interno e somente os restantes 5% é que vão para o mercado externo. Os países são a Holanda, a Alemanha e a Suíça na Europa. Fora da Europa o Brasil e também Macau.

Produzido na região alentejana, na terra mítica do distrito de Évora, e vinificado a partir das melhores uvas de casta Syrah, este vinho estagiou 9 meses em barricas de carvalho francês (70%) e em carvalho americano (30%). Tem uma graduação alcoólica de 15%. De cor violeta concentrada, notas quentes e intensas a frutos pretos maduros e especiarias. Encorpado, acidez equilibrada e com taninos bem presentes e redondos no final. Excelente acompanhamento de pratos de caça, borrego e carnes vermelhas, entre outras. Deverá ser servido a uma temperatura entre os 17º/18ºC.

O enólogo responsável é, como não podia deixar de ser, uma vez mais e sempre António Maçanita. O clima que dá origem a este Syrah é típico do mediterrâneo continental ou seja, dias quentes e secos, com noites muito frias. Os solos como já é habitual para a nossa casta são muito pobres de origem xistosa ou granítica.

cem_reis_herdade

A Herdade da Maroteira está localizada no recanto da Serra D´Ossa, a 20km de Estremoz e a 35km de Évora. É uma das propriedades agrícolas pertencente a uma das famílias Anglo-Portuguesa estabelecidas na Região do Alentejo, há mais de cinco gerações. Abrangendo uma área de 540 hectares, dedica-se à preservação do montado de sobro e azinho, ao turismo, através de três unidades de alojamento, e à vitivinicultura.

No que diz respeito a este 100 Reis de 2014 somos ainda de o valorizar mais que os de 2013 e 2012. Mas as diferenças são mínimas! Mas se calhar com a nossa especialização no palato somos mais exigentes e como tal essa diferença tem que ser mostrada na classificação final.
Os marotos da Maroteira continuam em alta, os nossos parabéns!

Fernando Pessoa escreveu e poderia eventualmente ter cantado
“Não falte trigo p’ra semente.
Remédio ao doente,
nem Syrah à gente!”
Esse Syrah pode perfeitamente ser o 100 Reis desde ano, e de todos os anos!

 

Classificação: 19/20                                           Preço: 18,95€

ft_cem_reis_2014


 

Aldeias de Juromenha, Herdade das Aldeias de Juromenha, 100% Syrah, Alentejo, 2011

juromenha_garrafa_2011

Este é um Syrah épico!

O Blogue do Syrah anunciava a safra de 2011 com pompa e circunstância faz mais ou menos um ano, no dia 24 de Fevereiro de 2015. Fizemos a sua degustação inicial nessa altura e mais tarde na segunda edição do Évora Wine no final de Maio. Já aí começava a destacar-se do seu irmão da safra anterior de 2010, cuja análise foi por nós apresentada aqui.

Hoje estamos em condições de dizer que chegou claramente ao Olimpo dos Syrah portugueses. A evolução no espaço de um ano foi enorme! Daí a necessidade de lhe dar mais uma vez o destaque plenamente merecido merecido!

É um Syrah feito pelo mestre António Saramago, e dito isto já estaríamos conversados por hoje!

É um Syrah de “cor retinto, aroma frutos vermelhos e compota, bons taninos, volumoso, equilibrado com boa acidez que lhe permite ter longevidade.” Mas dizer isto assim é ficar muito aquém do que se sente quando este néctar atravessa o palato! Trata-se de um topo de gama e ainda por cima a um preço fantástico! É já candidato a melhor Syrah do ano de 2016 em termos absolutos e também na relação qualidade/preço!

Nesta safra, como nas últimas, foram produzidas 13000 garrafas, todas elas dedicadas ao mercado interno. O Syrah da Herdade das Aldeias de Juromenha é todo comercializado em Portugal. O facto de ser reserva significa que tem dez meses de estágio em barricas de carvalho francês e americano, e tem uma graduação alcoólica de 14,5%.

A Herdade das Aldeias é uma empresa agrícola situada a cerca de 15km da Cidade de Elvas e junto da Vila de Juromenha com vista para o Rio Guadiana. Está inserida numa zona histórica com grande tradição na arte de fazer vinho. Este projecto em particular está em desenvolvimento desde 1986. A adega está rodeada por 70 hectares de vinha própria. Este sistema promove um aumento na eficiência na vindima, uma vez que reduz o tempo desde a colheita até ao processamento das uvas.

saramago

Quanto ao enólogo, que já foi por nós apresentado aqui, basta dizer que a sua importância e influência é enorme no mundo dos vinhos e especificamente dos Syrah. Já o dissemos e repetimos hoje: é um dos maiores especialistas a fazer Syrah em Portugal!

Classificação: 19/20                                                          Preço: 4,99€