Tag Archives: dão

Mapa de localização dos Syrah Portugueses

carta_syrahs

O Blogue do Syrah apresenta um documento inédito em Portugal.

De uma forma esquemática, utilizando as cartas oficiais com a localização das regiões vinícolas do País, colocámos uma indicação aproximada, mas o mais rigorosa possível, de todos os Syrah que existem em Portugal, ou pelo menos, daqueles de que temos conhecimento, 142 até agora. Acreditamos que ainda possa haver mais e, se tal acontecer, aqui estaremos para actualizar a informação.

Fica bem visível, portanto, a distribuição geográfica da nossa bebida preferida. A maior concentração acontece nas regiões de Lisboa, Tejo, Setúbal e Alentejo.
Proporcionalmente ao tamanho, é na região de Lisboa que há maior densidade de produtores.

Esperamos que muitos mais Syrah venham a aparecer.
Que novas safras tomem o lugar das que se vão esgotando.
Que produtores que já fizeram Syrah o voltem a fazer!

 

Como dizia Rabelais, “O Syrah é o que há de mais civilizado no mundo!”, logo, esta carta foi a nossa contribuição para a história da civilização portuguesa.


 

Madre de Água, 100% Syrah, Terras do Dão, 2012

 

madre_garrrafa

O Syrah Madre de Água é o segundo Syrah a surgir no Dão, e mostra possuir qualidades que muito apreciámos.
O anterior, já analisado aqui, de 2010, tinha mostrado já competências que foram devidamente salientadas.

O Syrah da Quinta de Madre de Água é de 2012, e foi o representante do Dão na prova Cega de Syrah, que aconteceu no passado 3 de Outubro, em Lisboa, que foi quando o conhecemos. Deu boa parte de si e suscitou grande interesse por parte de vários jurados.

A empresa Madre de Água, Lda., situa-se na freguesia de São Pedro, concelho de Gouveia, distrito da Guarda. A empresa gira à volta de um Hotel, o Madre de Água Hotel Rural, que está localizado apenas a 5 minutos de carro da cidade de Gouveia, na encosta da Serra da Estrela, numa quinta que produz além de Syrah, queijo e azeite. É neste espaço algo idílico que se produz o Quinta de Madre de Água Syrah.

Este Syrah tem uma graduação alcoólica de 13,3%. A enóloga é Francisca Pereira. No rótulo da garrafa pode ler-se o seguinte: “A cor púrpura envolta em reflexos violáceos envolve-se graciosamente com os taninos concedendo um corpo médio com acidez leve. Invade os sentidos através do seu aroma de ameixa com toque mentolado compondo um belo bouquet ao nariz. Tipicamente frutado onde a especiaria ocupa lugar de destaque, proporciona um memorável prazer a quem o consome. Vinho de altitude, Terras do Dão.”

Quanto ao Hotel e natureza envolvente, é o refúgio certo para partir à descoberta de uma região emblemática de Portugal. Situado a cinco minutos de Gouveia, junto à aldeia de Vinhó e a pouco mais de 20 quilómetros da Torre, lá no alto da Serra da Estrela, o Hotel possui 10 quartos que oferecem conforto e atmosfera para viver o que há de mais autêntico e tradicional nesta região do país.

É o caso dos vinhos da Região Demarcada do Dão, que pode conhecer logo a partir da vinhas, como já foi referido. Extremamente cuidadas, compõem a paisagem que envolve todo o Hotel e é através delas que se produzem vinhos assentes em castas tão tradicionais quanto a Touriga Nacional, Tinta Roriz, Alfrocheiro, Jaen, Vinha Velha, Encruzado ou Gouveio e naturalmente agora com o Syrah.

O escritor francês Theophile Malvezin escreveu: “O vinho é feito para ser bebido assim como a mulher é feita para ser amada. Ambos possuem a frescura da juventude ou o esplendor da maturidade, mas não espere pela decrepitude”

Vamos ver se chega com facilidade a Lisboa!

Classificação: 17/20                                                            Preço: 17,00€

madre_ft


 

Quinta de Madre d`Água Syrah

 

Acaba de sair um Syrah da região vitivinícola do Dão,  Quinta de Madre d`Água.

Do ano de 2012, este é o segundo Syrah que encontramos nesta região o que nos deixa muito satisfeitos.

É um dos Syrah que participará na Prova Cega de 3 de Outubro, em Lisboa, onde o Blogue do Syrah será jurado.
Brevemente uma  análise completa a mais um novo syrah!


 

Syrah de outras regiões (25)

outras_reg

Hoje apresentamos a última lista de Syrah, que engloba todas as outras regiões vinícolas do país. E são seis: Douro, Beira Interior, Trás os Montes, Dão, Bairrada e Algarve. No total existem aqui 20 Syrah, dos quais dois esgotados, ambos da Bairrada.

Nesta lista temos, segundo a nossa opinião, alguns dos melhores Syrah do país, como por exemplo, a Quinta da Caldeirinha da Beira Interior, ou o Quinta da Romaneira do Douro, por sinal ambos já por nós analisados, até ao algarvio Quinta do Francês, que brevemente merecerá a atenção devida, já que se trata de algo superlativo.

Nos Syrah onde estiver mencionado mais do que um ano significa que os conhecemos, o que não quer dizer que não haja outros anos.

Douro
Labrador, 2010, 2011
Quinta da Romaneira, 2011, 2012
Crasto Superior, 2013
Quinta de Ventozelo, 2014
Quinta de Ventozelo (madeira), 2014

Beira Interior
Almeida Garrett, 2007
Quinta da Caldeirinha, 2009
Quinta dos Termos, 2009

Algarve
Barranco Longo, 2007, 2010
Herdade dos Pimenteis Reserva, 2013
Onda Nova, 2007
Quinta do Francês, 2011, 2012
Quinta da Tôr, 2013, 2014
Salira, Adega Cooperativa de Lagoa, 2005

Bairrada
Quinta do Valdoeiro, 2005, 2007, 2010
Encostas de Mouros, 2009
Quinta do Carvalhinho, 2005
(esgotado)
Rosa Brava, 2004 (esgotado)
Blaudus Rosé Syrah, Quinta de Baixo, 2006 (esgotado)
Niepoort, 2012

Trás os Montes
Quinta de Arcossó, 2011
Quinta Sobreiró de Cima, 2010
Quinta do Escairo, 2012

Dão
Quinta das Camélias, 2010
Quinta de Madre de Água, 2012


 

Quinta das Camélias, 100% Syrah, Jaime de Almeida Barros, LDA, Terras do Dão, 2010

camelias_garrafa

Hoje vamos apresentar um syrah de que nos podemos orgulhar de forma muito especial. Trata-se do syrah Quinta das Camélias. Fica desde já dito que se trata do único syrah do Dão. Daí merecer só por este facto um carinho e uma atenção diferente.

A Quinta das Camélias situa-se na região demarcada do Dão, na aldeia de Sabugosa, a catorze quilómetros de Viseu. É uma propriedade com vinte e três hectares dos quais quinze estão ocupados com vinha. Foi adquirida em 2002 por Jaime de Almeida Barros, (que deve o gosto pela vinha ao pai, que também tinha sido produtor) tendo sido necessário proceder à reconversão total das vinhas existentes, devido à situação de semi-abandono em que a Quinta se encontrava.

Em conversa com o proprietário ficamos a saber que a Quinta inicialmente tinha somente oito hectares e meio e foi aumentando sucessivamente para actuais vinte e três com a compra de treze parcelas de terreno.

Uma das perguntas mais importantes que tínhamos a fazer a Jaime de Almeida Barros era saber o que o tinha levado a plantar syrah no Dão, quando nunca ninguém o tinha feito. A resposta foi simples e cristalina: “Tentativa de fazer vinhos diferentes.” E não há dúvida que o syrah da Quinta das Camélias é diferente de todos os vinhos que se produzem nesta região demarcada.

Mas é verdade, e é preciso dizê-lo, houve muito boa gente que logo teceu críticas fortes ao facto da casta syrah nada ter a ver com o Dão. A isso Jaime de Almeida Barros respondia que o mais importante era a produção de bons vinhos, e que fossem ao encontro do que o mercado pedia. Ainda não há muito tempo foi esta a resposta que João Paulo Martins, crítico de vinhos bem conhecido do meio vinícola, ouviu do nosso produtor.

camel_1

O encepamento da Quinta é constituído maioritariamente por Touriga –Nacional a sessenta por cento (apesar de ser dominante no Douro e estar distribuída por todo o país ela é originária do Dão) sendo os restantes quarenta por cento constituídos por Alfrocheiro, Tinta-Roriz, Jaen, (outra casta autóctone) e Syrah, que só ocupa dois hectares do total.

Este syrah, com 14,5 % de teor alcoólico, é de cor granada e tons violeta escuro. Segundo o produtor “apresenta aromas de framboesa, groselha, amora, tostado e defumado. Na boca é aveludado, com taninos bem integrados, com boa concentração de fenóis, complexo e encorpado”.

Apesar da Quinta ter começado a sua produção de vinhos em 2005, o primeiro syrah só saiu em 2008 com cerca de quatro mil garrafas. A segunda safra aconteceu em 2009 e esta de que estamos a falar surgiu em 2010, e já teve um total de sete mil garrafas, das quais já só existem entre trezentas quatrocentas, algumas das quais se podem encontrar na Estado d`Alma. O ano de dois mil e onze não viu nenhum syrah por problemas com as uvas.

Brevemente estará no mercado a safra de 2012, a acontecer provavelmente entre o final deste ano e o princípio do próximo, e que terá um total de dez mil garrafas. Pela primeira vez se pondera a possibilidade de levar o syrah a concursos internacionais. A safra de 2013 sairá, se tudo correr bem, lá mais para o fim de 2015. Setenta por cento da produção desde o primeiro ano destina-se ao mercado externo nomeadamente Alemanha, Brasil e Bélgica.

Jaime de Almeida Barros pensa ainda plantar mais vinha devido ao aumento da procura. E isso é óptimo porque parafraseando Miguel de Cervantes: “O syrah que se bebe com medida jamais foi causa de dano algum”.

A aposta do mercado externo está ganha. É preciso ganhar o mercado interno. A Quinta das Camélias está no bom caminho!

Classificação: 16/20                            Preço: 5,72€

back_final