Tag Archives: syrah

Cabeço Alto, Adega Cooperativa de Gouxa, 100% Syrah, Tejo, 2010

alto_garrafa

Quando pensávamos que já não havia Syrah esquecidos no tempo, eis que Tiago Paulo, da Garrafeira Estado d´Alma, tira literalmente da cartola qual mágico, este Syrah de 2010, da Adega Cooperativa de Gouxa. Só este facto em si merece ser celebrado, por exemplo, com uma taça de Syrah, digamos!

Sobre o néctar propriamente dito, as notas de prova dizem-nos que este Syrah tem “uma cor granada com tons violáceos, um aroma intenso lembrando frutos vermelhos maduros e com um sabor complexo e harmonioso.” A graduação alcoólica é de 14%. Foram lançadas na altura para o mercado 15000 garrafas.

alto_coop
A Adega Cooperativa de Gouxa, C.R.L., localizada na Quinta de Gouxa, Alpiarça, com área aproximada de 11,2 hectares foi fundada em 1962 e construída pela antiga Junta Colonização Interna, tendo sido entregue a um núcleo de Associados que por sua vez formou a primeira Direcção. Teve o seu início de actividade em 1967 já um pouco dentro do período das vindimas com reduzida entrada de uvas. No ano de 1968 laborou em bom ritmo uma quantidade bastante razoável de uvas, predominantemente brancas, provenientes dos terrenos de Gouxa (Concelho de Alpiarça) e da Charneca das Fazendas de Almeirim, onde o seu característico vinho branco resultante das Castas Fernão Pires, Boal, e Arinto, vinho tinto Aragonês, Piriquita e Alicante Bouschet e também vinho licoroso (Abafado) proveniente de mostos brancos seleccionados, são de superior qualidade. No ano de 1969 começou-se a engarrafar a título artesanal, derivado à sua grande procura. Posteriormente teve a Cooperativa de empreender um projecto de renovação de equipamento no ano 1989, o qual tem vindo a ser renovado mediante as exigências do seu fabrico e qualidade, e segue até aos dias de hoje.

O Ribatejo é terra de vinho desde o tempo remoto dos romanos. E território de alguns Syrah memoráveis. Vinhos brancos, rosés e tintos que, ano após ano, se vão afirmando no gosto dos apreciadores. A região Ribatejana é hoje uma das primeiras áreas portuguesas de produção vinícola e integra várias denominações.

Já Napoleão Bonaparte dizia que “Claramente os prazeres que o vinho oferece são transitórios. Mas assim são também os do ballet ou o de uma apresentação musical. Os vinhos nos inspiram e acrescentam muito ao prazer de viver.”

Isso é válido para os Syrah e o da Adega Cooperativa de Gouxa também cumpre esse desiderato.

Beba-se!

 

Classificação: 15/20                                                                     Preço: 6,98€

alto_ft


 

Monte Seis Reis, 2013

 

A primeira grande novidade deste ano!
A saída da safra de 2013 do Syrah topo de gama Monte Seis Reis!

O último Syrah da Sociedade Agrícola Monte Seis Reis datava de 2008!

Este que agora vê a luz do dia vamos recebê-lo brevemente, com expectativa e emoção ao rubro!

É um dos melhores Syrah portugueses oriundos da terra sagrada do Alto Alentejo!

A seguir com toda a atenção!


 

Os melhores de 2015 segundo o Blogue do Syrah!

medalhas_final

Pela primeira vez aqui no Blogue do Syrah, decidimos escolher os melhores Syrah lançados em Portugal durante um ano, começando neste caso por 2015.

Atribuímos, assim, medalhas de Ouro, Prata e Bronze, e ainda uma medalha especial ao que considerámos ser o melhor Syrah quanto à relação qualidade preço.

Este painel de premiados nasceu da nossa escolha subjectiva, como teria de ser, e teve lugar num ano particularmente rico de novidades e que tornou a escolha ainda mais aliciante. O universo Syrahniano vai aumentando regularmente, para nosso, e vosso, regozijo, quase sempre com enorme qualidade, tornando esta nossa aventura um deleite quase permanente. E sem querermos, temos assim representado no pódio o país de norte a sul, Douro, Alentejo e Algarve, com passagem pelo centro lisboeta.

Vamos então aos nossos ‘Óscares‘.

 

Medalha de Ouro: MIL RÉIS

Estes marotos da Maroteira já antes, liderados por Philip Mollet, com o Cem Réis, nos tinham brindado com um Syrah de eleição que deixou marca por onde quer que tenha passado. Por isso a fasquia estava alta, mas eles sabiam o terreno que pisavam, é o Alentejo e a sua magia. Cem réis são cem réis, mas mil réis são dez vezes mais, ou seja, quando foi anunciado este novíssimo Syrah logo se imaginou que vinha aí algo de grande. E assim foi. Lançado com pompa e circunstância no Campo Pequeno, Mercado de Pequenos Produtores, imediatamente descobrimos um néctar que mais uma vez não ia passar despercebido. Foi nota 20 sem hesitar, profundo, denso, exuberante, são palavras que nos saltam do paladar. Foi uma crónica de vitória anunciada. Veneramos quem assim sabe de seu fazer!

 

Medalha de Prata : QUINTA DO FRANCÊS

A seguir colocámos, logo por baixo, um algarvio néctar, igualmente um vinte sem tirar nem pôr, igualmente sob a batuta de um estrangeiro atraído pelo encanto de terras meridionais, Patrick Agostini, que aqui conseguiu repetir a façanha de nota máxima do ano anterior. Néctar luminoso, cheio, imenso, que deixa aquela marca que não se esquece e pede uma repetição sempre com expectativa de novas descobertas. Dissemos e repetimos: é um Syrah imprescindível!

 

Medalha de Bronze: CRASTO SUPERIOR

Em terceiro lugar, chegamos a terras agora setentrionais, território de história e tradição, o nosso ditoso Douro. Mesmo não sendo Syrah a 100%, a marca 19 foi unânime em incluir tudo o que ali jaz de excelência e requinte. A nossa casta de eleição não deixou os seus créditos por mãos alheias, mesmo em terras onde não seria de prever tamanha grandeza. Cativante, aveludado, estruturado, é o que se nos ocorre quando nele pensamos, algo de superior. Está neste nosso pódio com todo o brio!

 

Melhor relação Qualidade-Preço: QUINTA DO GRADIL

Por último, decidimos atribuir uma medalha segundo o critério de relação qualidade-preço, ou seja, excelente classificação a preço convidativo, é ter muito por pouco. Eis pois este Quinta do Gradil, da região de Lisboa, expressivo, elegante e harmonioso, presente sempre que quisermos um Syrah de qualidade acima da média para uso diário!

 

Julguem de vossa justiça, provem, degustem, apreciem, opinem, e venham aqui dizer se estão de acordo ou não com esta escolha, e parabéns aos vencedores!


 

 

Herdade da Fonte Coberta, Sociedade Agrícola Fonte Coberta, 100% Syrah, Alentejo, 2013

fonte_coberta_garrafa
O Syrah da Herdade da Fonte Coberta acabou de chegar às mãos do Blogue do Syrah!

E que Syrah que é!
Também não é de admirar, visto que nos chega da zona mais emblemática do país na produção de Syrah de alta qualidade, o distrito de Évora, e o Syrah da Herdade da Fonte Coberta vem confirmar esta convicção já consolidada.

Estávamos em 2013, e foram produzidas 13000 garrafas. O enólogo é José Fonseca, de Bombarral, e tanto quanto sabemos é a primeira vez que faz um Syrah. E logo à primeira mostrou que é mestre nesta arte egrégia que nos ilumina o paladar e demais sentidos!

A fermentação foi feita em lagar de inox com temperatura controlada e maceração prolongada. Estagiou durante 9 meses em barricas de madeira de carvalho francês.
As notas de prova que escolhemos dizem-nos que “apresenta cor granada intensa e aroma frutado típico da casta. Na boca é vigoroso mas elegante com belos taninos moldados pela madeira das barricas de carvalho onde estagiou.” Tem um teor alcoólico de 14,5%.

O projecto da Herdade da Fonte Coberta surgiu pelo empenho e capacidade empreendedora da família Santos que, com uma longa tradição vinícola, resolveu investir todo o seu conhecimento, na produção de vinhos na concretização de um novo desafio numa região de excelência. Com este objectivo adquiriu uma herdade no Alentejo que, anteriormente, se dedicava à cultura de girassóis e produção de cereais.
A partir das primeiras plantações vitícolas, em 2003, têm sido feitos grandes investimentos nas vinhas (com completo e eficiente equipamento de rega gota a gota) e numa moderna adega dotada da mais avançada tecnologia. Em 2007 foi lançado no mercado o primeiros vinho produzido na Herdade da Fonte Coberta: Ouro do Monte, da colheita de 2006.

A Herdade da Fonte Coberta localizada, cerca de, 5km a sul da cidade de Évora, tem uma área total de 190 hectares, sendo que, actualmente a plantação de vinha representa, aproximadamente, 150ha que se encontra dividida por vários talhões onde estão plantadas diversas castas, a partir das quais produz vinho de excelente qualidade. As castas tintas mais representativas da nossa produção são a Trincadeira, Aragonez e Alicante Bouschet mas para além destas existem ainda Alfrocheiro, Castelão, Cabernet Sauvignon, Touriga Franca e Syrah naturalmente. Na produção de vinho branco usamos uvas das castas Antão Vaz, Fernão Pires, Arinto, Chardonnay e Roupeiro.
A produção média anual prevista será de cerca de 150.000 litros de vinho branco e de 800.000 litros de vinho tinto.

Estando basicamente vocacionada para a produção vitivinícola, a Herdade da fonte Coberta tem também uma actividade pecuária importante com a criação e comercialização de bovinos da raça Limousine.

Os solos de origem essencialmente graníticas e xistosa, são solos de média e baixa fertilidade mas com muito boa drenagem natural. Embora, de um modo geral, todo o Alentejo seja bem dotado para a produção de vinhos de qualidade, estes conseguem atingir o seu expoente máximo em solos xistosos com a rocha muito superficial. É o caso da Herdade da Fonte Coberta!

Na Herdade da Fonte Coberta, apesar do clima quente e seco na época estival, a existência de uma barragem e várias charcos circundantes permitem fornecer às plantas a água necessária para que não cheguem a atingir o “stress” hídrico.

A Herdade da Fonte Coberta tem reunido esforços, investindo na expansão da internacionalização dos seus vinhos. Tendo como principal objectivo o alargamento aos mercados externos, já será possível encontrar os vinhos da Herdade da Fonte Coberta em alguns países da Europa, China, Brasil, Costa do Marfim e Angola.

Martim Lutero dizia que: “A cerveja é obra do homem; o vinho, de Deus.”
E nós acrescentamos que este Syrah só podia ser de Évora!

Para terminar queremos chamar a atenção para a relação qualidade/preço! Não é habitual um Syrah desta qualidade custar pouco mais de doze euros! Não estamos com isso a incentivar o produtor a vender este Syrah a um preço mais elevado mas somente a chamar a atenção que é um forte candidato, e apesar de estarmos ainda muito no princípio do ano, a ganhar o prémio de melhor Syrah de 2016 na relação qualidade/preço para além de poder também ganhar na categoria de melhor Syrah do ano!

Vale a pena… mesmo!

Classificação: 18/20                                                                 Preço: 12,50€

fonte_coberta_ft


 

Fidúcia, Alenvinus, 100% Syrah, Alentejo, 2005

fiducia_garrafa

Em Cuba, não a Cuba de Fidel mas sim a do distrito de Beja, descobrimos mais este Syrah, da casa Alenvinus – Produção e Comércio de Vinhos, do produtor Miguel Eloy Prazeres, de 2005 e apesar de termos tido acesso a uma garrafa através da garrafeira d´Estado de Alma, este Syrah está hoje em dia esgotado. Foram feitas 3500 garrafas e com uma graduação alcoólica de 13%.

Na memória ficou-nos o aspecto límpido e profundidade média próprio de um Syrah, e apresentou-se vestido de um granada escuro onde sobressaíam ligeiras tonalidades acastanhadas, denunciando a sua idade. Exalava aromas intensos a frutos vermelhos e um ligeiro toque herbáceo. De sabor macio, amadeirado, os aromas de boca acrescentaram maturação ao vinho, libertando eflúvios a compotas e um ligeiro herbáceo.

Somos de o considerar um alentejano com “sotaque” francês. Elaborado exclusivamente com base na nossa casta Syrah, revelou-se na prova com características muito próprias da casta francesa, que tão bem se adaptou ao Alentejo. Fruto do um clima específico, com Verões quentes e secos, e de solos pobres na sua generalidade, imprimem aos vinhos uma complexidade, corpo e estrutura muito próprios.

fiducia_cuba

Temos indicação que houve mais duas safras em 2006 e 2007 mas todos os contactos para os conseguir trazer até nós foram infrutíferos, porque este produtor, como outros já por nós indicados, não têm a mínima preocupação em terem uma linha de contacto com os consumidores ou fazer qualquer tipo de divulgação pela Internet. Apesar de ser um produtor que iniciou somente em 2004 a sua actividade trata-se de mais um produtor de vinhos que não tem nem site, nem Blogue, nem Facebook, nem sequer o telefone indicado está operacional. Paciência!

Consideramos que é um Syrah elegante, discreto e suave, ideal para consumir no dia a dia, a solo ou acompanhado com comida regional, desde que não muito condimentada.

O comerciante de vinhos André Simon disse: “O vinho torna as refeições especiais, as mesas mais elegantes, os dias mais civilizados.” E nós acrescentamos: “Com syrah isso acontece mais intensamente!”

Classificação: 15/20                                                                 Preço: 7,00€


 

Herdade da Fonte Coberta, 2013

 

Mesmo na ponta final do ano surge um novo Syrah, para nosso desmesurado prazer!

Herdade da Fonte Coberta, Syrah a 100% e com 14,5% de graduação alcoólica.

Trata-se de um Syrah de 2013, de uma região particular nos arredores de Évora que tantos Syrah topo de gama nos tem oferecido!

Para o princípio do ano uma análise detalhada!